O que é comércio eletrônico e como funciona esse modelo de vendas?

E-commerce

27 de junho de 2022

O comércio eletrônico nunca esteve tão presente no cotidiano dos consumidores. Com origem na década de 90, foi nos últimos anos que a modalidade de vendas online alcançou um crescimento exponencial no mercado.

Proporcionando praticidade para os clientes e oportunidades de faturamento para os empreendedores, o comércio virtual já se tornou parte dos hábitos de consumo dos brasileiros.

Para se ter uma ideia, o e-commerce do país registrou R$ 161 bilhões de faturamento em 2021, um aumento de 26,9% em comparação com o ano anterior, segundo a Neotrust. Ao todo, 59 milhões de consumidores fizeram compras online ao longo do ano.

Diante desse cenário, estar presente na internet se tornou um requisito para atingir o público e ter sucesso com as vendas.

Se você quer saber mais sobre o comércio eletrônico, leia este artigo até o final! Dentre os assuntos abordados, estão:

  • O que é comércio eletrônico?
  • Quais são as vantagens do comércio eletrônico?
  • O que vender no comércio eletrônico?
  • Quais são os tipos de comércio eletrônico?
  • Quais são os canais de vendas do comércio eletrônico?
  • Como começar o seu próprio comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico?

O comércio eletrônico, também chamado de e-commerce, é um modelo de negócio no qual a operação de compra e venda de produtos ou serviços é realizada pela internet, com o uso de dispositivos eletrônicos como computadores, smartphones e tablets.

Dessa maneira, todos os processos envolvidos na venda, desde a oferta da solução até o pagamento da compra, acontecem por meio de canais digitais. Na venda de produtos físicos, somente o estoque e o processo de entrega funcionam de forma presencial.

Nesse caso, a transação acontece da seguinte maneira: o cliente acessa o comércio eletrônico e seleciona os produtos desejados.

Então, ele faz o cadastro das suas informações pessoais, escolhe uma modalidade de entrega e realiza o pagamento do pedido online. Com a aprovação da transação, ele recebe a compra no seu endereço no prazo estipulado.

Vale destacar que o comércio eletrônico pode ou não estar vinculado a uma loja física. Ele pode funcionar exclusivamente no ambiente online ou também contar com um estabelecimento físico, permitindo compras presenciais e virtuais.

Quais são as vantagens do comércio eletrônico?

Para o consumidor, o comércio eletrônico proporciona muito mais agilidade e comodidade na realização de compras. Com poucos cliques, o cliente pode fazer um pedido e recebê-lo no conforto do seu lar.

Mas não é só o consumidor que se beneficia dessa modalidade de vendas! Confira as vantagens que o e-commerce também oferece para os empreendedores.

Mercado em alta

Como mostramos no início do artigo, as compras online já se tornaram um hábito de consumo consolidado dos brasileiros. Esse cenário se intensificou principalmente após o início da pandemia e, desde então, há uma demanda crescente por negócios digitais.

Investimentos mais baixos

Em comparação com uma loja física, o comércio eletrônico demanda um menor investimento inicial, assim como custos operacionais mais baixos. Afinal, não é necessário ter uma estrutura física robusta para colocar a operação em funcionamento.

Maior alcance do público

Construir uma presença digital com um comércio virtual permite alcançar um público muito mais amplo, conquistando maior visibilidade para a marca e ultrapassando limites geográficos para vender para diferentes cidades, estados e até mesmo países.

Maior disponibilidade

Além de possibilitar um maior alcance, o e-commerce também permite realizar vendas a qualquer hora do dia. Afinal, não há horários limitados para a operação funcionar, e os produtos ficam disponíveis para o consumidor visualizar e comprar 24 horas por dia.

Isso proporciona maior conveniência para o cliente realizar suas compras na hora que preferir, potencializando as vendas.

Quais são os tipos de comércio eletrônico?

É muito comum pensar que só existe um único tipo de comércio eletrônico: aquele em que as empresas vendem para os clientes finais. No entanto, há vários tipos de modalidades no mercado, com modos de funcionamento diferentes.

B2B (Business to Business)

O e-commerce B2B é destinado para *negócios que vendem para outros negócios, como empresas SaaS (Software as a Service). Em geral, esse tipo de comércio envolve transações mais complexas e volumosas.

B2C (Business to Consumer)

Esse é o modelo de comércio eletrônico mais conhecido, no qual as empresas comercializam produtos ou serviços diretamente para os consumidores finais. É o caso de grande parte das lojas virtuais e marketplaces do mercado.

C2C (Consumer to Consumer)

Nessa modalidade, as transações são realizadas entre os próprios consumidores. Um exemplo são os marketplaces de recommerce, onde pessoas físicas podem se cadastrar para vender produtos usados para outras pessoas.

D2C (Direct to Consumer)

Em um e-commerce D2C, fabricantes, indústrias e distribuidores podem vender seus produtos diretamente para o cliente final, sem a intermediação do varejo.

O que vender no comércio eletrônico?

É possível vender uma ampla variedade de produtos físicos e digitais na internet, seja de forma pontual ou recorrente.

Produtos físicos

Existem diversos nichos de mercado de produtos físicos que podem ser comercializados no comércio eletrônico, como moda e acessórios, eletrônicos, cosméticos, decoração, alimentos e bebidas.

Em outro artigo do blog, listamos os produtos mais vendidos na internet para você se inspirar!

Produtos digitais

Também conhecidos como infoprodutos, são materiais que visam educar o público sobre um assunto específico, sendo disponibilizados de forma 100% online. Os exemplos mais comuns são e-books, cursos online, infográficos, webinars, planilhas e consultorias.

Assinaturas

Além de realizar vendas pontuais, também é possível realizar uma cobrança recorrente para que o consumidor tenha acesso aos seus produtos ou serviços. É o caso das plataformas de streaming e dos clubes de assinatura, por exemplo.

Quais são os canais de vendas do comércio eletrônico?

Muitas pessoas confundem o comércio eletrônico com uma loja virtual. No entanto, esse é somente um dos canais de vendas que podem ser explorados no e-commerce.

Lembrando que não é preciso escolher um único canal para vender online. Desde que faça sentido para o seu negócio e o seu público-alvo, você pode estar presente em mais de um canal para potencializar ainda mais suas oportunidades de vendas.

Conheça os principais canais e suas particularidades a seguir!

Loja virtual própria

Essa é a forma mais comum de vender no comércio eletrônico. Na prática, a loja virtual é um site exclusivo de um varejista, onde ele pode expor e vender os seus produtos.

Nesse caso, o empreendedor tem a possibilidade de customizar o site para colocar a sua marca em evidência, mas também fica responsável por todos os custos e processos envolvidos em criar e manter o e-commerce.

Para colocar uma loja virtual no ar, é preciso registrar um domínio para o site, contratar um serviço de hospedagem e escolher uma plataforma de e-commerce que fornecerá a infraestrutura necessária para criar e gerenciar a loja.

Página de vendas

Muito utilizada para a venda de produtos digitais, a página de vendas é uma landing page onde você pode apresentar os seus produtos de forma mais visualmente atrativa para levar o cliente à conversão.

A sua diferença para a loja virtual é que, na hora da finalização da compra, o cliente é direcionado para um checkout externo e monoproduto, no qual é possível adquirir uma única solução por vez.

Já a loja virtual agrupa múltiplas páginas de produtos e permite adicionar diversos itens em quantidades variadas no carrinho de compras, finalizando o pedido em um checkout que faz parte da própria infraestrutura do site.

Marketplace

O marketplace é um canal que reúne vários varejistas em uma única plataforma, oferecendo uma infraestrutura pronta para que eles comercializem os seus produtos, em troca de uma comissão pelas vendas realizadas.

Além dos custos mais baixos para a manutenção da operação, a vantagem de vender em um marketplace é que esses sites costumam ter grande visibilidade e alto volume de tráfego.

Por outro lado, é a própria marca do marketplace que fica em evidência e não as dos varejistas. Além disso, geralmente há uma forte competição por preços dentro dessas plataformas.

Redes sociais

Com o lançamento de recursos específicos para o comércio, as redes sociais também têm se tornado importantes canais de vendas, seja utilizadas sozinhas ou de forma complementar a uma loja virtual.

O Instagram Shopping e os anúncios pagos da rede social, por exemplo, é possível criar uma vitrine virtual no perfil da sua marca, ampliando o alcance dos seus produtos e impulsionando as suas vendas.

Em relação à finalização da compra, se você não tiver uma loja virtual para direcionar os seus clientes, basta contar com um link de pagamento para enviar um checkout personalizado para o consumidor concluir o pedido.

Como começar o seu próprio comércio eletrônico?

Agora que você já entende o funcionamento das diferentes modalidades de comércio eletrônico, vamos explicar alguns passos essenciais para estruturar o seu próprio e-commerce e ter sucesso com as vendas.

Planejamento do negócio

Para começar um comércio virtual, o primeiro passo é realizar o planejamento do empreendimento. Nesse momento, é preciso definir aspectos como:

  • o planejamento estratégico do negócio;
  • o nicho de mercado onde você atuará;
  • o público-alvo que você deseja alcançar;
  • os produtos que serão vendidos e seus respectivos preços;
  • os fornecedores das mercadorias ou matérias-primas;
  • os canais de venda utilizados;
  • a identidade e os valores da marca.

Além disso, é essencial fazer um planejamento financeiro cuidadoso, listando todos os custos e investimentos necessários para manter a operação em funcionamento. Não se esqueça também de cuidar da regularização do negócio e das obrigações fiscais.

Operação logística

No caso de um e-commerce de produtos físicos, é indispensável estruturar uma operação logística eficiente. Afinal, os clientes esperam receber os itens com rapidez e sem avarias.

As principais formas de entregar os pedidos é por meio dos Correios e das transportadoras. Uma boa prática é oferecer mais de uma opção para o consumidor encontrar aquela que melhor atenda às suas necessidades.

Outro aspecto importante é a gestão do estoque do e-commerce. Estruture os processos de separação e embalagem das encomendas com organização e eficácia, além de manter um bom controle de todas as saídas e entradas de produtos.

Lembre-se também de planejar uma operação de logística reversa, para os casos de trocas e devoluções de mercadorias.

Pagamento digital

Independentemente do canal utilizado para as suas vendas, você deve contar com um meio de pagamentos seguro para processar as transações online do seu comércio.

Escolha uma solução que permita aceitar as formas de pagamento mais utilizadas pelos consumidores, como cartão de crédito, boleto e Pix. Se você vende pelas redes sociais, também é recomendado contar com um link de pagamento, como já falamos.

Uma dica é buscar funcionalidades que garantam uma alta taxa de conversão para o e-commerce, como o checkout transparente, que mantém o cliente na mesma página para realizar o pagamento.

Atendimento ao cliente

Tenha em mente que, em um comércio eletrônico, o consumidor não tem a possibilidade de pedir a ajuda presencial de um atendente. Por isso, é fundamental prestar um atendimento humanizado e personalizado para o cliente.

Ofereça múltiplos canais de atendimento, como chat online, e-mail, telefone e WhatsApp, e deixe visível os horários de disponibilidade do serviço. Assim, as pessoas terão fácil acesso ao suporte da loja.

Estratégias de Marketing Digital

Para lançar o seu comércio eletrônico no mercado, o Marketing Digital é o grande aliado da sua marca! Crie perfis nas redes sociais mais relevantes para o seu público-alvo e comece a produzir conteúdos de qualidade.

Também vale investir em anúncios pagos, como Facebook Ads e Google Ads, além de fazer campanhas em e-mail marketing e até mesmo firmar parcerias com influenciadores digitais que conversem com os seus consumidores.

Considere o orçamento disponível e selecione as estratégias mais adequadas para gerar visibilidade e vendas para o e-commerce.

O que você achou do comércio eletrônico? Esse modelo de negócios tem conquistado cada vez mais empreendedores e consumidores e promete continuar crescendo nos próximos anos.

Se você quer começar a sua jornada no varejo digital, faça um bom planejamento do seu negócio e siga as nossas dicas para começar o seu e-commerce com o pé direito e ter sucesso com as vendas online.

Quer conhecer melhor as opções de soluções de pagamento disponíveis para o seu comércio eletrônico? Então, baixe agora mesmo nosso e-book gratuito sobre meios de pagamento para e-commerce!


Baixe o e-book Meios de pagamento para e-commerce!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

05, agosto, 2022

10 dicas de gestão financeira para a sua empresa

Reunimos as principais dicas de gestão financeira para as empresas seguirem e garantirem o crescimento do negócio. Confira!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

03, agosto, 2022

O que é ruptura de estoque e como evitá-la no varejo?

A ruptura de estoque pode ter várias consequências negativas para uma loja. Conheça as principais causas desse problema e como evitá-lo!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

02, agosto, 2022

NPS: o que é e como calcular a satisfação do cliente?

Entenda a fundo o que é NPS e como utilizar essa metodologia para mensurar a satisfação dos clientes do seu negócio!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

O que é comércio eletrônico e como funciona esse modelo de vendas?

E-commerce

27 de junho de 2022

O comércio eletrônico nunca esteve tão presente no cotidiano dos consumidores. Com origem na década de 90, foi nos últimos anos que a modalidade de vendas online alcançou um crescimento exponencial no mercado.

Proporcionando praticidade para os clientes e oportunidades de faturamento para os empreendedores, o comércio virtual já se tornou parte dos hábitos de consumo dos brasileiros.

Para se ter uma ideia, o e-commerce do país registrou R$ 161 bilhões de faturamento em 2021, um aumento de 26,9% em comparação com o ano anterior, segundo a Neotrust. Ao todo, 59 milhões de consumidores fizeram compras online ao longo do ano.

Diante desse cenário, estar presente na internet se tornou um requisito para atingir o público e ter sucesso com as vendas.

Se você quer saber mais sobre o comércio eletrônico, leia este artigo até o final! Dentre os assuntos abordados, estão:

  • O que é comércio eletrônico?
  • Quais são as vantagens do comércio eletrônico?
  • O que vender no comércio eletrônico?
  • Quais são os tipos de comércio eletrônico?
  • Quais são os canais de vendas do comércio eletrônico?
  • Como começar o seu próprio comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico?

O comércio eletrônico, também chamado de e-commerce, é um modelo de negócio no qual a operação de compra e venda de produtos ou serviços é realizada pela internet, com o uso de dispositivos eletrônicos como computadores, smartphones e tablets.

Dessa maneira, todos os processos envolvidos na venda, desde a oferta da solução até o pagamento da compra, acontecem por meio de canais digitais. Na venda de produtos físicos, somente o estoque e o processo de entrega funcionam de forma presencial.

Nesse caso, a transação acontece da seguinte maneira: o cliente acessa o comércio eletrônico e seleciona os produtos desejados.

Então, ele faz o cadastro das suas informações pessoais, escolhe uma modalidade de entrega e realiza o pagamento do pedido online. Com a aprovação da transação, ele recebe a compra no seu endereço no prazo estipulado.

Vale destacar que o comércio eletrônico pode ou não estar vinculado a uma loja física. Ele pode funcionar exclusivamente no ambiente online ou também contar com um estabelecimento físico, permitindo compras presenciais e virtuais.

Quais são as vantagens do comércio eletrônico?

Para o consumidor, o comércio eletrônico proporciona muito mais agilidade e comodidade na realização de compras. Com poucos cliques, o cliente pode fazer um pedido e recebê-lo no conforto do seu lar.

Mas não é só o consumidor que se beneficia dessa modalidade de vendas! Confira as vantagens que o e-commerce também oferece para os empreendedores.

Mercado em alta

Como mostramos no início do artigo, as compras online já se tornaram um hábito de consumo consolidado dos brasileiros. Esse cenário se intensificou principalmente após o início da pandemia e, desde então, há uma demanda crescente por negócios digitais.

Investimentos mais baixos

Em comparação com uma loja física, o comércio eletrônico demanda um menor investimento inicial, assim como custos operacionais mais baixos. Afinal, não é necessário ter uma estrutura física robusta para colocar a operação em funcionamento.

Maior alcance do público

Construir uma presença digital com um comércio virtual permite alcançar um público muito mais amplo, conquistando maior visibilidade para a marca e ultrapassando limites geográficos para vender para diferentes cidades, estados e até mesmo países.

Maior disponibilidade

Além de possibilitar um maior alcance, o e-commerce também permite realizar vendas a qualquer hora do dia. Afinal, não há horários limitados para a operação funcionar, e os produtos ficam disponíveis para o consumidor visualizar e comprar 24 horas por dia.

Isso proporciona maior conveniência para o cliente realizar suas compras na hora que preferir, potencializando as vendas.

Quais são os tipos de comércio eletrônico?

É muito comum pensar que só existe um único tipo de comércio eletrônico: aquele em que as empresas vendem para os clientes finais. No entanto, há vários tipos de modalidades no mercado, com modos de funcionamento diferentes.

B2B (Business to Business)

O e-commerce B2B é destinado para *negócios que vendem para outros negócios, como empresas SaaS (Software as a Service). Em geral, esse tipo de comércio envolve transações mais complexas e volumosas.

B2C (Business to Consumer)

Esse é o modelo de comércio eletrônico mais conhecido, no qual as empresas comercializam produtos ou serviços diretamente para os consumidores finais. É o caso de grande parte das lojas virtuais e marketplaces do mercado.

C2C (Consumer to Consumer)

Nessa modalidade, as transações são realizadas entre os próprios consumidores. Um exemplo são os marketplaces de recommerce, onde pessoas físicas podem se cadastrar para vender produtos usados para outras pessoas.

D2C (Direct to Consumer)

Em um e-commerce D2C, fabricantes, indústrias e distribuidores podem vender seus produtos diretamente para o cliente final, sem a intermediação do varejo.

O que vender no comércio eletrônico?

É possível vender uma ampla variedade de produtos físicos e digitais na internet, seja de forma pontual ou recorrente.

Produtos físicos

Existem diversos nichos de mercado de produtos físicos que podem ser comercializados no comércio eletrônico, como moda e acessórios, eletrônicos, cosméticos, decoração, alimentos e bebidas.

Em outro artigo do blog, listamos os produtos mais vendidos na internet para você se inspirar!

Produtos digitais

Também conhecidos como infoprodutos, são materiais que visam educar o público sobre um assunto específico, sendo disponibilizados de forma 100% online. Os exemplos mais comuns são e-books, cursos online, infográficos, webinars, planilhas e consultorias.

Assinaturas

Além de realizar vendas pontuais, também é possível realizar uma cobrança recorrente para que o consumidor tenha acesso aos seus produtos ou serviços. É o caso das plataformas de streaming e dos clubes de assinatura, por exemplo.

Quais são os canais de vendas do comércio eletrônico?

Muitas pessoas confundem o comércio eletrônico com uma loja virtual. No entanto, esse é somente um dos canais de vendas que podem ser explorados no e-commerce.

Lembrando que não é preciso escolher um único canal para vender online. Desde que faça sentido para o seu negócio e o seu público-alvo, você pode estar presente em mais de um canal para potencializar ainda mais suas oportunidades de vendas.

Conheça os principais canais e suas particularidades a seguir!

Loja virtual própria

Essa é a forma mais comum de vender no comércio eletrônico. Na prática, a loja virtual é um site exclusivo de um varejista, onde ele pode expor e vender os seus produtos.

Nesse caso, o empreendedor tem a possibilidade de customizar o site para colocar a sua marca em evidência, mas também fica responsável por todos os custos e processos envolvidos em criar e manter o e-commerce.

Para colocar uma loja virtual no ar, é preciso registrar um domínio para o site, contratar um serviço de hospedagem e escolher uma plataforma de e-commerce que fornecerá a infraestrutura necessária para criar e gerenciar a loja.

Página de vendas

Muito utilizada para a venda de produtos digitais, a página de vendas é uma landing page onde você pode apresentar os seus produtos de forma mais visualmente atrativa para levar o cliente à conversão.

A sua diferença para a loja virtual é que, na hora da finalização da compra, o cliente é direcionado para um checkout externo e monoproduto, no qual é possível adquirir uma única solução por vez.

Já a loja virtual agrupa múltiplas páginas de produtos e permite adicionar diversos itens em quantidades variadas no carrinho de compras, finalizando o pedido em um checkout que faz parte da própria infraestrutura do site.

Marketplace

O marketplace é um canal que reúne vários varejistas em uma única plataforma, oferecendo uma infraestrutura pronta para que eles comercializem os seus produtos, em troca de uma comissão pelas vendas realizadas.

Além dos custos mais baixos para a manutenção da operação, a vantagem de vender em um marketplace é que esses sites costumam ter grande visibilidade e alto volume de tráfego.

Por outro lado, é a própria marca do marketplace que fica em evidência e não as dos varejistas. Além disso, geralmente há uma forte competição por preços dentro dessas plataformas.

Redes sociais

Com o lançamento de recursos específicos para o comércio, as redes sociais também têm se tornado importantes canais de vendas, seja utilizadas sozinhas ou de forma complementar a uma loja virtual.

O Instagram Shopping e os anúncios pagos da rede social, por exemplo, é possível criar uma vitrine virtual no perfil da sua marca, ampliando o alcance dos seus produtos e impulsionando as suas vendas.

Em relação à finalização da compra, se você não tiver uma loja virtual para direcionar os seus clientes, basta contar com um link de pagamento para enviar um checkout personalizado para o consumidor concluir o pedido.

Como começar o seu próprio comércio eletrônico?

Agora que você já entende o funcionamento das diferentes modalidades de comércio eletrônico, vamos explicar alguns passos essenciais para estruturar o seu próprio e-commerce e ter sucesso com as vendas.

Planejamento do negócio

Para começar um comércio virtual, o primeiro passo é realizar o planejamento do empreendimento. Nesse momento, é preciso definir aspectos como:

  • o planejamento estratégico do negócio;
  • o nicho de mercado onde você atuará;
  • o público-alvo que você deseja alcançar;
  • os produtos que serão vendidos e seus respectivos preços;
  • os fornecedores das mercadorias ou matérias-primas;
  • os canais de venda utilizados;
  • a identidade e os valores da marca.

Além disso, é essencial fazer um planejamento financeiro cuidadoso, listando todos os custos e investimentos necessários para manter a operação em funcionamento. Não se esqueça também de cuidar da regularização do negócio e das obrigações fiscais.

Operação logística

No caso de um e-commerce de produtos físicos, é indispensável estruturar uma operação logística eficiente. Afinal, os clientes esperam receber os itens com rapidez e sem avarias.

As principais formas de entregar os pedidos é por meio dos Correios e das transportadoras. Uma boa prática é oferecer mais de uma opção para o consumidor encontrar aquela que melhor atenda às suas necessidades.

Outro aspecto importante é a gestão do estoque do e-commerce. Estruture os processos de separação e embalagem das encomendas com organização e eficácia, além de manter um bom controle de todas as saídas e entradas de produtos.

Lembre-se também de planejar uma operação de logística reversa, para os casos de trocas e devoluções de mercadorias.

Pagamento digital

Independentemente do canal utilizado para as suas vendas, você deve contar com um meio de pagamentos seguro para processar as transações online do seu comércio.

Escolha uma solução que permita aceitar as formas de pagamento mais utilizadas pelos consumidores, como cartão de crédito, boleto e Pix. Se você vende pelas redes sociais, também é recomendado contar com um link de pagamento, como já falamos.

Uma dica é buscar funcionalidades que garantam uma alta taxa de conversão para o e-commerce, como o checkout transparente, que mantém o cliente na mesma página para realizar o pagamento.

Atendimento ao cliente

Tenha em mente que, em um comércio eletrônico, o consumidor não tem a possibilidade de pedir a ajuda presencial de um atendente. Por isso, é fundamental prestar um atendimento humanizado e personalizado para o cliente.

Ofereça múltiplos canais de atendimento, como chat online, e-mail, telefone e WhatsApp, e deixe visível os horários de disponibilidade do serviço. Assim, as pessoas terão fácil acesso ao suporte da loja.

Estratégias de Marketing Digital

Para lançar o seu comércio eletrônico no mercado, o Marketing Digital é o grande aliado da sua marca! Crie perfis nas redes sociais mais relevantes para o seu público-alvo e comece a produzir conteúdos de qualidade.

Também vale investir em anúncios pagos, como Facebook Ads e Google Ads, além de fazer campanhas em e-mail marketing e até mesmo firmar parcerias com influenciadores digitais que conversem com os seus consumidores.

Considere o orçamento disponível e selecione as estratégias mais adequadas para gerar visibilidade e vendas para o e-commerce.

O que você achou do comércio eletrônico? Esse modelo de negócios tem conquistado cada vez mais empreendedores e consumidores e promete continuar crescendo nos próximos anos.

Se você quer começar a sua jornada no varejo digital, faça um bom planejamento do seu negócio e siga as nossas dicas para começar o seu e-commerce com o pé direito e ter sucesso com as vendas online.

Quer conhecer melhor as opções de soluções de pagamento disponíveis para o seu comércio eletrônico? Então, baixe agora mesmo nosso e-book gratuito sobre meios de pagamento para e-commerce!


Baixe o e-book Meios de pagamento para e-commerce!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

05, agosto, 2022

10 dicas de gestão financeira para a sua empresa

Reunimos as principais dicas de gestão financeira para as empresas seguirem e garantirem o crescimento do negócio. Confira!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

03, agosto, 2022

O que é ruptura de estoque e como evitá-la no varejo?

A ruptura de estoque pode ter várias consequências negativas para uma loja. Conheça as principais causas desse problema e como evitá-lo!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

02, agosto, 2022

NPS: o que é e como calcular a satisfação do cliente?

Entenda a fundo o que é NPS e como utilizar essa metodologia para mensurar a satisfação dos clientes do seu negócio!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo