Varejo de moda: estratégias para vender roupas online

E-commerce

12 de agosto de 2020

Em 2020, os hábitos de consumo foram transformados pela quarentena e o setor de vestuário foi um dos afetados: a compra de roupas pela internet disparou. O crescimento aproximado do setor no meio digital foi de +90%.

Mesmo com a reabertura do comércio, algumas tendências de consumo vão permanecer. Comprar pela internet ganhou uma nova perspectiva e quem manda são os consumidores.

Por isso, para se dar bem no varejo digital da moda, é preciso conhecer bem o seu público, seu produto e escolher as estratégias certas para vender mais! Continue a leitura para ver o que você precisa saber antes de começar a vender roupas online e estratégias fundamentais para aplicar na sua loja!

Antes de começar a vender, escolha o nicho certo

O setor de moda, que inclui vestuário, calçados e acessórios, é o segundo em volume de vendas em todo o e-commerce brasileiro!

E essa posição não é coincidência, o varejo de moda é um dos setores que mais oferece possibilidades de negócio. É aí que entramos em um assunto fundamental: os nichos do setor.

Além de categorias de diferentes produtos, o setor de moda é composto por muitos nichos de mercado. Isso significa que dentro do setor há pequenos grupos de consumidores com necessidades e interesses bem específicos.

Por isso, o mercado é tão atrativo para quem quer empreender no mundo digital. Com tantos grupos de consumidores, é mais fácil encontrar necessidades não atendidas: a demanda é maior do que a oferta.

Alguns exemplos de nichos deste mercado são moda praia, plus size, moda sustentável e moda para gestantes. Se você pretende começar a vender roupas online, cuidado com esse mar de possibilidades que o setor oferece! Escolher um nicho específico para atuar é mais seguro e mais inteligente.

Por isso, é importante estudar o mercado e encontrar os nichos em que a demanda ainda é maior do que a oferta. Além de entender como esse público se comporta e quais são seus hábitos de consumo digital.

Independentemente do nicho que você escolheu para investir e do modelo de negócios que vai usar, alguns aspectos fundamentais giram em torno de qualquer negócio digital: Fornecedores (seja de matéria prima ou de peças finalizadas) Estoque

Todos esses aspectos precisam ser considerados antes de colocar seu negócio para funcionar. E o mais importante é tomar decisões com o seu público em mente.

Se você vai vender roupas sustentáveis, por exemplo, saiba que seus clientes vão se interessar pelas origens da sua matéria prima, pela forma como cada peça é confeccionada e pelos processos legais que estão por trás do seu negócio.

Conheça profundamente seu público e procure gerar identificação em cada um dos aspectos citados acima.

Estratégias para vender roupas online

Agora, se você já tem um negócio digital no setor de moda, vamos falar sobre estratégias práticas que você pode aplicar hoje mesmo! E você, que ainda está no início de tudo, fique atento a essas estratégias para começar com o pé direito.

Quando falamos de vender e comprar roupas pela internet, nos deparamos com um desafio muito específico: as pessoas não podem experimentar a peça antes de comprar.

Mas, com as novas tendências de consumo que nasceram a partir da pandemia, a prova de roupas ficou em segundo plano. Nas lojas físicas que já reabriram, ainda não é permitido experimentar as peças e não sabemos quando isso vai mudar.

Além disso, novas tecnologias oferecem maneiras criativas e eficientes de auxiliar o cliente na escolha da peça. Então, invista na experiência de compra!

1. Ofereça um Provador Virtual

Esse recurso pode poupar seu negócio de muitos abandonos de carrinho! É comum que o usuário fique na dúvida sobre qual tamanho deve escolher e essa insegurança pode acabar na desistência da compra.

O provador virtual funciona como uma calculadora que compara as medidas fornecidas pelo usuário com as medidas de cada tamanho da peça. A partir desse cálculo, o provador virtual mostra ao usuário o tamanho que melhor se adequa ao seu corpo.

Por tornar a experiência de compra mais completa, esse recurso tem sido adotado por muitos e-commerces de moda e, em breve, será pré-requisito para os usuários. Acompanhe as inovações do mercado e ofereça esse recurso no seu site!

2. Dê uma descrição detalhada do produto

Em qualquer canal de vendas, uma descrição detalhada de cada peça é essencial e possível! Então, se você não tem um site e vende pelas redes sociais, por exemplo, faça da descrição do produto, um provador virtual!

Como o usuário não tem acesso à peça que deseja comprar, cabe ao vendedor dar o máximo possível de detalhes sobre o produto:

  • Composição do tecido;
  • Cor da peça;
  • Comportamento do tecido (volumoso, leve, espesso etc);
  • Caimento da peça;
  • Sensação na pele (fria, macia etc);
  • Procedimentos para lavagem.

Ao informar tudo isso, você aproxima o usuário da peça e o ajuda a encontrar exatamente o que procura. Outro recurso óbvio - mas fundamental - que auxilia nesse processo, são as imagens dos produtos.

3. Faça fotos de alta qualidade

Para vender qualquer produto pela internet, as fotos são indispensáveis. Desde doces caseiros até produtos eletrônicos, todos nós temos a necessidade de ver aquilo que pretendemos comprar.

No caso das roupas, essa necessidade se intensifica, já que aquele produto vai compor a imagem do próprio consumidor. Então, oferecer fotos de alta qualidade é obrigação de quem vende roupas online.

Além da qualidade das fotos, outros aspectos são essenciais para informar e encantar seu público. Lembre-se de que a foto deve ser mais do que um recurso informativo, ela pode ser o fator de convencimento:

  • Evite usar cabides e manequins: apresente suas peças em pessoas reais.
  • Apresente mais de uma foto de cada produto: em diferentes ângulos, com diferentes modelos e composições diferentes.
  • Apresente sempre pelo menos uma foto com a peça aproximada para que o usuário veja detalhes do tecido.
  • Ofereça a possibilidade de zoom de alta qualidade.
  • Produza vídeos para mostrar o caimento das peças.

Lembre-se de que tudo isso pode ser feito de forma mais simples, caso seu negócio ainda não tenha recursos suficientes para contratar profissionais, modelos, softwares e equipamentos.

Um bom smartphone, uma luz natural, um fundo neutro e alguns amigos dispostos a ajudar podem ser o que você precisa para começar do jeito certo.

4. Seja criativo no nome de cada peça

Cada público, cada nicho, tem um jeito particular de se comunicar. E você pode incorporar essas particularidades à sua loja virtual em cada detalhe!

Vamos imaginar um exemplo: numa loja virtual de moda praia, seria mais atrativo clicar em “biquíni azul” ou “biquíni Garota de Ipanema”? A forma como você nomeia suas peças pode atrair o usuário e ainda criar uma relação afetiva com a sua marca.

5. Seja o consultor do seu cliente

Sugira diferentes formas de uso das peças. Frases como “gostei, mas não sei usar”, ou “gostei, mas não tenho com o que combinar” são motivos comuns que levam um usuário a desistir da compra.

Você mesmo pode suprir essa dúvida ao apresentar diferentes formas de usar as peças e ainda oferecer outros itens que combinam com o escolhido pelo usuário. Você pode usar um software automático que indica outras peças ou fazer isso pelas redes sociais por meio de vídeos e fotos.

6. Use as redes sociais certas

Por fim, um bom vendedor digital usa as redes sociais para divulgar seu produto e se relacionar com o público. No caso das roupas, isso é ainda mais importante por todos os motivos que listamos até aqui.

Mas quais são as redes sociais certas? Instagram e Pinterest são as melhores opções para o varejo de moda. São canais em que a imagem fica em total evidência e onde os usuários procuram referências de moda.

Boas vendas!

Com todas essas estratégias em prática, seu negócio virtual de moda vai se destacar no meio da concorrência! Aqui, no blog do Pagar.me, você encontra novos conteúdos toda semana, fique de olho! Nosso objetivo é informar você e impulsionar o seu negócio.

Boas vendas!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

23, outubro, 2020

Previsões para a Black Friday 2020: dados e insights do Google

Recentemente, o Google Brasil promoveu um evento exclusivo para grandes varejistas do mundo digital onde apresentou dados, insights e previsões para a Black Friday 2020. Veja as informações e prepare seu negócio digital.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

16, outubro, 2020

O que é chargeback e como evitar este problema no seu e-commerce?

Ter uma transação contestada pode trazer uma série de prejuízos para a sua loja online, que corre o risco de ficar sem o produto e o valor da venda. Entenda o que é chargeback e como evitar este problema no e-commerce.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

15, outubro, 2020

O Dicionário Financeiro do E-commerce: 17 termos que todo empreendedor digital precisa conhecer

Capital de giro, Lucro, Chargeback, Fluxo de Caixa, Gateway e tantos outros termos do mundo financeiro que você precisa conhecer.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo