Fraudes da Black Friday 2022: como proteger seu e-commerce?

E-commerce

19 de agosto de 2021 (atualizado em 12 de setembro de 2022)

A Black Friday 2021 teve um faturamento de R$ 5,4 bilhões no digital, o que representa um crescimento de 5,8% na comparação com o ano anterior. A informação é do levantamento realizado pela Neotrust.

Acompanhando a rentabilidade e o sucesso da ocasião, o número de fraudes também cresceu. De acordo com o estudo da ClearSale, o salto foi de 131,54% nas tentativas de fraudes em compras online, em relação ao mesmo período em 2020.

Fato é que tentativas de fraude fazem parte do dia a dia dos empreendedores digitais. O que não significa que podemos e devemos normalizar as perdas financeiras decorrentes de golpes.

Por isso, a atenção precisa ser redobrada durante a Black Friday, sazonalidade em que os golpistas aproveitam o maior volume de transações em lojas virtuais para se camuflarem entre os compradores.

Continue a leitura e conheça as principais soluções para se prevenir de fraudes da Black Friday 2022 e, ainda, dicas de como orientar os seus consumidores para que eles consigam evitar golpes de engenharia social!

A importância da prevenção na Black Friday

As fraudes no e-commerce, além de gerarem prejuízos financeiros ao lojista, podem desencadear maiores problemas para quem vende online. Isso porque esses golpes têm como consequência os pedidos de chargeback.

Chargeback é a contestação de uma compra. Quando o cliente tem o cartão clonado e usado no seu e-commerce, por exemplo, ao não reconhecer a compra, ele aciona a sua operadora de cartão para receber o estorno daquela compra. Esse valor sai do caixa do seu negócio, mas a questão não termina aí.

As bandeiras de cartão são as reguladoras desse mercado. Então, se uma loja recebe muitos chargebacks, as bandeiras aplicam multas e sanções ao negócio, que podem chegar a medidas extremas, como o descredenciamento. Nessa última instância, a loja não pode mais operar compras digitais.

Por isso, é de suma importância atuar preventivamente contra as fraudes. Fazendo esse trabalho prévio, também se torna mais simples fazer a contestação dos chargebacks, processo no qual o lojista reúne provas de que a compra é idônea e que o produto foi devidamente entregue.

7 dicas para proteger o seu e-commerce de fraudes da Black Friday

Agora que você já sabe a importância de trabalhar preventivamente contra fraudes, confira algumas dicas para tornar o seu negócio mais rentável e seguro, sobretudo na Black Friday.

1. Adquira um certificado de segurança

Um passo básico para garantir a proteção de qualquer loja online é adquirir um certificado SSL. Trata-se de uma tecnologia que assegura que todos os dados preenchidos pelo usuário no seu site sejam enviados de forma criptografada ao servidor.

Isso é muito importante para proteger os consumidores de tentativas de invasões e roubos de dados por pessoas mal-intencionadas, resguardando também o seu e-commerce de possíveis problemas com segurança de dados.

Sabe aquele cadeado que aparece ao lado da URL na barra de navegação? Esse símbolo indica para o cliente que o site é certificado e protege, portanto, os seus dados, transmitindo mais confiança para que ele compre na loja.

2. Capacite a equipe do e-commerce

É fundamental capacitar a equipe do seu e-commerce sobre os riscos das transações digitais e o que é possível fazer para evitar fraudes e golpes na loja.

Antes da Black Friday, faça treinamentos com todos os colaboradores, desde o time de atendimento até as pessoas que cuidam de processos mais operacionais.

Eles devem entender como funcionam os principais tipos de fraudes e conhecer bem o padrão de comportamento dos consumidores. Assim, será possível identificar atividades suspeitas e resolvê-las com agilidade.

Além disso, a equipe deve ter em mente as melhores práticas para se prevenir de fraudes no dia a dia do e-commerce, como verificar se os clientes receberam os produtos corretamente e certificar-se de que todos os pedidos tenham um comprovante de entrega assinado.

3. Conte com um sistema antifraude

A principal maneira de garantir que o seu e-commerce não passe por fraudes da Black Friday é contar com um antifraude.

Essa é uma ferramenta indispensável para automatizar a análise de risco dos pedidos feitos no seu site e reduzir os seus prejuízos com fraudes e golpes.

Os sistemas antifraude utilizam mecanismos de Inteligência Artificial para fazer análises detalhadas dos comportamentos de compra dos usuários e identificar possíveis atividades fraudulentas no seu e-commerce.

A partir do cruzamento de diferentes variáveis, como informações cadastrais, geolocalização, histórico de compras e últimos sites acessados pelo usuário, o antifraude atribui um grau de risco à transação, aprovando-a ou não.


Dashboard de transações do Pagar.me

Exemplo de visualização na dashboard do Pagar.me após as transações passarem pelo antifraude


Dessa forma, a sua loja virtual recebe uma camada adicional de proteção contra tentativas de fraudes no fluxo das suas transações.

Vale lembrar que o antifraude trabalha com uma Inteligência Artificial chamada Machine Learning. Em linhas gerais, isso significa que quanto mais o seu sistema trabalha, melhor e mais preciso ele se torna.

Por isso, é importante começar a usar e aperfeiçoar o seu antifraude de seis a três meses antes da Black Friday.

Dessa forma, a sua tecnologia pode aprender mais sobre os hábitos de compra dos seus consumidores e as peculiaridades do seu negócio, tornando a sua inteligência mais precisa e garantindo a assertividade da aprovação ou não das compras.

4. Entenda os padrões de compra dos clientes

Mesmo contando com as análises automáticas de um sistema antifraude, é importante entender os comportamentos de compra dos seus clientes, para que você possa tomar decisões mais assertivas no caso de transações suspeitas.

Esse procedimento chama-se análise manual de fraude. Nesse caso, a própria equipe do e-commerce analisa os dados dos clientes para aprovar a transação, após a análise automática do antifraude.

O objetivo é diminuir o número de falsos-positivos, que são os pedidos que o sistema antifraude nega, mas que são de compradores legítimos.

Para absorver uma análise de fraude manual na sua operação, é preciso conhecer o seu público-consumidor: região do país, idade, tempo de navegação, ticket médio dos pedidos, formas de pagamento preferidas, entre outros.

Em última instância, deve-se fazer as verificações de contato junto ao cliente para garantir uma boa experiência de compra e não prejudicar um consumidor idôneo.

5. Conheça também os fraudadores

Além de conhecer os hábitos de compra do seu cliente, busque identificar também a forma de atuação dos fraudadores.

Por exemplo, é muito comum que os golpistas invistam esforços em adquirir produtos de alto valor agregado e de grande apelo no mercado. O objetivo é vendê-los bem mais barato de maneira ilegal.

Nesse sentido, você pode se prevenir mapeando os produtos desse perfil dentro do seu e-commerce que possam ser alvo de golpes e ter uma atenção redobrada para a demanda deles.

Outra estratégia dos fraudadores é fazer testes com cartões. Ao fraudar cartões de crédito, os golpistas fazem compras de pequenos produtos, com valores mais baixos, para ver se o cartão passa nas compras.

Em caso de sucesso, passam a fazer pedidos de ticket médio mais elevado. Essa tática, portanto, é complementar à primeira.

6. Utilize um meio de pagamento seguro

Para garantir a segurança contra fraudes da Black Friday, bem como uma boa experiência de compra para o cliente, é essencial contar com um meio de pagamento online seguro.

Durante a Black Friday, quando geralmente é registrado um maior volume de compras, essa tecnologia torna-se ainda mais importante para proteger os dados dos consumidores e blindar o seu e-commerce de problemas com segurança e fraudes.

O ideal é utilizar uma solução que apresente um sistema antifraude integrado, oferecendo mais praticidade para o seu negócio, e que também tenha certificações de segurança da informação.

O PCI Compliance é o padrão internacional mais reconhecido no mercado de pagamentos, garantindo que todos os dados sensíveis de cartão processados pelo sistema são criptografados.

7. Preze pela estabilidade, mas se garanta com a redundância

Quando o assunto é Black Friday, nada pode dar errado. Afinal, estamos falando da data mais importante para o varejo digital.

Então, para garantir a segurança do seu e-commerce e o seu pleno funcionamento, é importante sempre contar com um plano B.

A nível de serviço, isso significa que você deve priorizar sempre trabalhar com os melhores parceiros de negócio, que garantam um bom suporte e estabilidade operacional durante a ocasião.

Mas, ainda assim, é prudente contratar provedores secundários de infraestrutura e serviços, com o objetivo de colocá-los em atividade em caso de instabilidades do primeiro player.

Leia também: 6 dicas de tecnologia para ter sucesso na Black Friday

Tipos de fraudes da Black Friday

Agora que você já sabe quais são as principais medidas a serem tomadas para proteger o seu negócio de fraudes da Black Friday, é hora de conhecer os principais golpes que estão na moda neste mercado. Confira a seguir!

Sequestro de estoque

O sequestro de estoque é uma prática realizada, de má-fé, por varejistas que desejam gerar prejuízos financeiros para os concorrentes durante a Black Friday, principalmente médios e grandes e-commerces.

Na prática, o lojista faz pedidos nos sites concorrentes e seleciona o pagamento por boleto. Então, aproveitando-se do prazo de vencimento de cerca de três dias do boleto, ele não realiza o pagamento e deixa os produtos fora de circulação durante alguns dias, comprometendo as vendas do e-commerce durante o período da Black Friday.

Para evitar essa situação, uma boa solução é aceitar o Pix na sua loja. Essa forma de pagamento instantâneo atende à demanda dos clientes que preferem pagar à vista e conta com a autorização da compra em cerca de 10 segundos — agilidade essa que impede a realização de fraudes como o sequestro de estoque.

Phishing

O phishing é um golpe que tem como público-alvo os consumidores. Essa técnica de engenharia social tem o objetivo de “pescar” dados sensíveis dos clientes para usá-los em golpes futuros.

Para conseguir o que desejam, os golpistas simplesmente “pedem” os dados dos usuários de maneira muito convincente.

Ou seja, se passando por uma empresa, pedindo dados para terminar um cadastro, fornecendo um link de contato, forjando um site fake de uma grande empresa, entre outras táticas.

Esse golpe tem ficado cada vez mais refinado, sendo realmente difícil distinguir o que é fraude. Por isso, é importante orientar os seus clientes quanto aos canais de comunicação usados pela sua marca e sua abordagem.

Isso porque a sua loja pode não apenas ter produtos comprados pelos fraudadores a partir do golpe, como ainda pode ser usada por eles para conseguir os dados dos consumidores. Então, além de prejuízo financeiro, isso pode manchar a imagem do seu negócio.

Fraude de boleto

A partir de um vírus instalado no computador do cliente, chamado de Bolware, os golpistas conseguem alterar o código de barras do boleto no momento em que o mesmo está sendo gerado no seu site.

Dessa forma, os fraudadores alteram a conta recebedora e até o valor do boleto. Assim, quando o cliente faz o pagamento do mesmo, a quantia não chega até o lojista, mas sim ao golpista.

Nesse caso, é de suma importância que os clientes façam uso de antivírus e que chequem os dados do recebedor (lojista) e seus próprios dados no boleto.

A sua loja pode fornecer esse tipo de instrução aos consumidores, como medida preventiva.

Pagar.me: mais segurança para as suas vendas!

O Pagar.me é uma solução completa e segura para você receber pagamentos online no seu e-commerce. Confira as vantagens que nossa tecnologia oferece para você vender com segurança e prevenir fraudes da Black Friday 2022:

  • Antifraude integrado: nosso sistema faz análises automáticas e atribui um grau de risco para todas as suas vendas, identificando e bloqueando transações suspeitas;
  • Garantia de fraude: após sofrer uma fraude, vem o chargeback, que é a contestação do cliente em relação à compra. O Pagar.me conta com um serviço adicional de garantia de fraude, para evitar os prejuízos financeiros do seu e-commerce nessa situação;
  • Certificação PCI Compliance: todos os dados transacionados pela nossa tecnologia são criptografados no servidor, garantindo a segurança do processo para todos os envolvidos;
  • Alta estabilidade: nossa infraestrutura é capaz de processar milhares de transações por segundo e se manteve 100% estável nas edições da Black Friday de 2019, 2020 e 2021.

Quer aproveitar todas essas vantagens para vender com mais eficiência e segurança na Black Friday 2022? Cadastre-se no Pagar.me ou entre em contato para saber mais sobre a nossa solução!


Cadastre-se no Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

05, dezembro, 2022

8 estratégias para disparar suas vendas de Natal (2022)

Quer potencializar as vendas de Natal da sua loja? Confira as principais tendências de consumo e estratégias para lucrar na data este ano.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

01, dezembro, 2022

Venda casada: o que é e o que diz a lei sobre essa prática?

Confira o que é venda casada, por que essa prática é considerada um crime pela legislação e como evitá-la no seu negócio.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

30, novembro, 2022

Unboxing: o que é e como investir nessa estratégia?

Você sabe o que é unboxing? Saiba mais sobre esse processo de desempacotar uma compra e como aproveitar essa tendência na sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

Fraudes da Black Friday 2022: como proteger seu e-commerce?

E-commerce

19 de agosto de 2021 (atualizado em 12 de setembro de 2022)

A Black Friday 2021 teve um faturamento de R$ 5,4 bilhões no digital, o que representa um crescimento de 5,8% na comparação com o ano anterior. A informação é do levantamento realizado pela Neotrust.

Acompanhando a rentabilidade e o sucesso da ocasião, o número de fraudes também cresceu. De acordo com o estudo da ClearSale, o salto foi de 131,54% nas tentativas de fraudes em compras online, em relação ao mesmo período em 2020.

Fato é que tentativas de fraude fazem parte do dia a dia dos empreendedores digitais. O que não significa que podemos e devemos normalizar as perdas financeiras decorrentes de golpes.

Por isso, a atenção precisa ser redobrada durante a Black Friday, sazonalidade em que os golpistas aproveitam o maior volume de transações em lojas virtuais para se camuflarem entre os compradores.

Continue a leitura e conheça as principais soluções para se prevenir de fraudes da Black Friday 2022 e, ainda, dicas de como orientar os seus consumidores para que eles consigam evitar golpes de engenharia social!

A importância da prevenção na Black Friday

As fraudes no e-commerce, além de gerarem prejuízos financeiros ao lojista, podem desencadear maiores problemas para quem vende online. Isso porque esses golpes têm como consequência os pedidos de chargeback.

Chargeback é a contestação de uma compra. Quando o cliente tem o cartão clonado e usado no seu e-commerce, por exemplo, ao não reconhecer a compra, ele aciona a sua operadora de cartão para receber o estorno daquela compra. Esse valor sai do caixa do seu negócio, mas a questão não termina aí.

As bandeiras de cartão são as reguladoras desse mercado. Então, se uma loja recebe muitos chargebacks, as bandeiras aplicam multas e sanções ao negócio, que podem chegar a medidas extremas, como o descredenciamento. Nessa última instância, a loja não pode mais operar compras digitais.

Por isso, é de suma importância atuar preventivamente contra as fraudes. Fazendo esse trabalho prévio, também se torna mais simples fazer a contestação dos chargebacks, processo no qual o lojista reúne provas de que a compra é idônea e que o produto foi devidamente entregue.

7 dicas para proteger o seu e-commerce de fraudes da Black Friday

Agora que você já sabe a importância de trabalhar preventivamente contra fraudes, confira algumas dicas para tornar o seu negócio mais rentável e seguro, sobretudo na Black Friday.

1. Adquira um certificado de segurança

Um passo básico para garantir a proteção de qualquer loja online é adquirir um certificado SSL. Trata-se de uma tecnologia que assegura que todos os dados preenchidos pelo usuário no seu site sejam enviados de forma criptografada ao servidor.

Isso é muito importante para proteger os consumidores de tentativas de invasões e roubos de dados por pessoas mal-intencionadas, resguardando também o seu e-commerce de possíveis problemas com segurança de dados.

Sabe aquele cadeado que aparece ao lado da URL na barra de navegação? Esse símbolo indica para o cliente que o site é certificado e protege, portanto, os seus dados, transmitindo mais confiança para que ele compre na loja.

2. Capacite a equipe do e-commerce

É fundamental capacitar a equipe do seu e-commerce sobre os riscos das transações digitais e o que é possível fazer para evitar fraudes e golpes na loja.

Antes da Black Friday, faça treinamentos com todos os colaboradores, desde o time de atendimento até as pessoas que cuidam de processos mais operacionais.

Eles devem entender como funcionam os principais tipos de fraudes e conhecer bem o padrão de comportamento dos consumidores. Assim, será possível identificar atividades suspeitas e resolvê-las com agilidade.

Além disso, a equipe deve ter em mente as melhores práticas para se prevenir de fraudes no dia a dia do e-commerce, como verificar se os clientes receberam os produtos corretamente e certificar-se de que todos os pedidos tenham um comprovante de entrega assinado.

3. Conte com um sistema antifraude

A principal maneira de garantir que o seu e-commerce não passe por fraudes da Black Friday é contar com um antifraude.

Essa é uma ferramenta indispensável para automatizar a análise de risco dos pedidos feitos no seu site e reduzir os seus prejuízos com fraudes e golpes.

Os sistemas antifraude utilizam mecanismos de Inteligência Artificial para fazer análises detalhadas dos comportamentos de compra dos usuários e identificar possíveis atividades fraudulentas no seu e-commerce.

A partir do cruzamento de diferentes variáveis, como informações cadastrais, geolocalização, histórico de compras e últimos sites acessados pelo usuário, o antifraude atribui um grau de risco à transação, aprovando-a ou não.


Dashboard de transações do Pagar.me

Exemplo de visualização na dashboard do Pagar.me após as transações passarem pelo antifraude


Dessa forma, a sua loja virtual recebe uma camada adicional de proteção contra tentativas de fraudes no fluxo das suas transações.

Vale lembrar que o antifraude trabalha com uma Inteligência Artificial chamada Machine Learning. Em linhas gerais, isso significa que quanto mais o seu sistema trabalha, melhor e mais preciso ele se torna.

Por isso, é importante começar a usar e aperfeiçoar o seu antifraude de seis a três meses antes da Black Friday.

Dessa forma, a sua tecnologia pode aprender mais sobre os hábitos de compra dos seus consumidores e as peculiaridades do seu negócio, tornando a sua inteligência mais precisa e garantindo a assertividade da aprovação ou não das compras.

4. Entenda os padrões de compra dos clientes

Mesmo contando com as análises automáticas de um sistema antifraude, é importante entender os comportamentos de compra dos seus clientes, para que você possa tomar decisões mais assertivas no caso de transações suspeitas.

Esse procedimento chama-se análise manual de fraude. Nesse caso, a própria equipe do e-commerce analisa os dados dos clientes para aprovar a transação, após a análise automática do antifraude.

O objetivo é diminuir o número de falsos-positivos, que são os pedidos que o sistema antifraude nega, mas que são de compradores legítimos.

Para absorver uma análise de fraude manual na sua operação, é preciso conhecer o seu público-consumidor: região do país, idade, tempo de navegação, ticket médio dos pedidos, formas de pagamento preferidas, entre outros.

Em última instância, deve-se fazer as verificações de contato junto ao cliente para garantir uma boa experiência de compra e não prejudicar um consumidor idôneo.

5. Conheça também os fraudadores

Além de conhecer os hábitos de compra do seu cliente, busque identificar também a forma de atuação dos fraudadores.

Por exemplo, é muito comum que os golpistas invistam esforços em adquirir produtos de alto valor agregado e de grande apelo no mercado. O objetivo é vendê-los bem mais barato de maneira ilegal.

Nesse sentido, você pode se prevenir mapeando os produtos desse perfil dentro do seu e-commerce que possam ser alvo de golpes e ter uma atenção redobrada para a demanda deles.

Outra estratégia dos fraudadores é fazer testes com cartões. Ao fraudar cartões de crédito, os golpistas fazem compras de pequenos produtos, com valores mais baixos, para ver se o cartão passa nas compras.

Em caso de sucesso, passam a fazer pedidos de ticket médio mais elevado. Essa tática, portanto, é complementar à primeira.

6. Utilize um meio de pagamento seguro

Para garantir a segurança contra fraudes da Black Friday, bem como uma boa experiência de compra para o cliente, é essencial contar com um meio de pagamento online seguro.

Durante a Black Friday, quando geralmente é registrado um maior volume de compras, essa tecnologia torna-se ainda mais importante para proteger os dados dos consumidores e blindar o seu e-commerce de problemas com segurança e fraudes.

O ideal é utilizar uma solução que apresente um sistema antifraude integrado, oferecendo mais praticidade para o seu negócio, e que também tenha certificações de segurança da informação.

O PCI Compliance é o padrão internacional mais reconhecido no mercado de pagamentos, garantindo que todos os dados sensíveis de cartão processados pelo sistema são criptografados.

7. Preze pela estabilidade, mas se garanta com a redundância

Quando o assunto é Black Friday, nada pode dar errado. Afinal, estamos falando da data mais importante para o varejo digital.

Então, para garantir a segurança do seu e-commerce e o seu pleno funcionamento, é importante sempre contar com um plano B.

A nível de serviço, isso significa que você deve priorizar sempre trabalhar com os melhores parceiros de negócio, que garantam um bom suporte e estabilidade operacional durante a ocasião.

Mas, ainda assim, é prudente contratar provedores secundários de infraestrutura e serviços, com o objetivo de colocá-los em atividade em caso de instabilidades do primeiro player.

Leia também: 6 dicas de tecnologia para ter sucesso na Black Friday

Tipos de fraudes da Black Friday

Agora que você já sabe quais são as principais medidas a serem tomadas para proteger o seu negócio de fraudes da Black Friday, é hora de conhecer os principais golpes que estão na moda neste mercado. Confira a seguir!

Sequestro de estoque

O sequestro de estoque é uma prática realizada, de má-fé, por varejistas que desejam gerar prejuízos financeiros para os concorrentes durante a Black Friday, principalmente médios e grandes e-commerces.

Na prática, o lojista faz pedidos nos sites concorrentes e seleciona o pagamento por boleto. Então, aproveitando-se do prazo de vencimento de cerca de três dias do boleto, ele não realiza o pagamento e deixa os produtos fora de circulação durante alguns dias, comprometendo as vendas do e-commerce durante o período da Black Friday.

Para evitar essa situação, uma boa solução é aceitar o Pix na sua loja. Essa forma de pagamento instantâneo atende à demanda dos clientes que preferem pagar à vista e conta com a autorização da compra em cerca de 10 segundos — agilidade essa que impede a realização de fraudes como o sequestro de estoque.

Phishing

O phishing é um golpe que tem como público-alvo os consumidores. Essa técnica de engenharia social tem o objetivo de “pescar” dados sensíveis dos clientes para usá-los em golpes futuros.

Para conseguir o que desejam, os golpistas simplesmente “pedem” os dados dos usuários de maneira muito convincente.

Ou seja, se passando por uma empresa, pedindo dados para terminar um cadastro, fornecendo um link de contato, forjando um site fake de uma grande empresa, entre outras táticas.

Esse golpe tem ficado cada vez mais refinado, sendo realmente difícil distinguir o que é fraude. Por isso, é importante orientar os seus clientes quanto aos canais de comunicação usados pela sua marca e sua abordagem.

Isso porque a sua loja pode não apenas ter produtos comprados pelos fraudadores a partir do golpe, como ainda pode ser usada por eles para conseguir os dados dos consumidores. Então, além de prejuízo financeiro, isso pode manchar a imagem do seu negócio.

Fraude de boleto

A partir de um vírus instalado no computador do cliente, chamado de Bolware, os golpistas conseguem alterar o código de barras do boleto no momento em que o mesmo está sendo gerado no seu site.

Dessa forma, os fraudadores alteram a conta recebedora e até o valor do boleto. Assim, quando o cliente faz o pagamento do mesmo, a quantia não chega até o lojista, mas sim ao golpista.

Nesse caso, é de suma importância que os clientes façam uso de antivírus e que chequem os dados do recebedor (lojista) e seus próprios dados no boleto.

A sua loja pode fornecer esse tipo de instrução aos consumidores, como medida preventiva.

Pagar.me: mais segurança para as suas vendas!

O Pagar.me é uma solução completa e segura para você receber pagamentos online no seu e-commerce. Confira as vantagens que nossa tecnologia oferece para você vender com segurança e prevenir fraudes da Black Friday 2022:

  • Antifraude integrado: nosso sistema faz análises automáticas e atribui um grau de risco para todas as suas vendas, identificando e bloqueando transações suspeitas;
  • Garantia de fraude: após sofrer uma fraude, vem o chargeback, que é a contestação do cliente em relação à compra. O Pagar.me conta com um serviço adicional de garantia de fraude, para evitar os prejuízos financeiros do seu e-commerce nessa situação;
  • Certificação PCI Compliance: todos os dados transacionados pela nossa tecnologia são criptografados no servidor, garantindo a segurança do processo para todos os envolvidos;
  • Alta estabilidade: nossa infraestrutura é capaz de processar milhares de transações por segundo e se manteve 100% estável nas edições da Black Friday de 2019, 2020 e 2021.

Quer aproveitar todas essas vantagens para vender com mais eficiência e segurança na Black Friday 2022? Cadastre-se no Pagar.me ou entre em contato para saber mais sobre a nossa solução!


Cadastre-se no Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

05, dezembro, 2022

8 estratégias para disparar suas vendas de Natal (2022)

Quer potencializar as vendas de Natal da sua loja? Confira as principais tendências de consumo e estratégias para lucrar na data este ano.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

01, dezembro, 2022

Venda casada: o que é e o que diz a lei sobre essa prática?

Confira o que é venda casada, por que essa prática é considerada um crime pela legislação e como evitá-la no seu negócio.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

30, novembro, 2022

Unboxing: o que é e como investir nessa estratégia?

Você sabe o que é unboxing? Saiba mais sobre esse processo de desempacotar uma compra e como aproveitar essa tendência na sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo