Antifraude: o que é, como funciona e qual a importância desse sistema para o e-commerce?

E-commerce

15 de março de 2021 (atualizado em 19 de outubro de 2023)

O sistema antifraude é uma das principais soluções para garantir a segurança de um negócio digital. Essa preocupação é primordial para quem vende online, uma vez que os criminosos têm desenvolvido cada vez mais mecanismos para realizar fraudes online.

Para se ter uma ideia, o Brasil é o segundo país da América Latina com mais fraudes no comércio eletrônico, segundo dados levantados pela Visa.

Com isso, vemos a importância de contar com uma solução antifraude para ajudar a proteger o seu negócio de operações suspeitas, evitando prejuízos financeiros e a perda de credibilidade perante os clientes.

Para te ajudar a entender melhor o que é o antifraude e sua importância para os e-commerces, preparamos este artigo completo. Dentre os tópicos que você vai conferir, estão:

  • O que é antifraude?
  • Como funciona um sistema antifraude?
  • Quais são os tipos de fraudes no e-commerce?
  • Qual é a importância do antifraude?
  • Como escolher um antifraude para e-commerce?

O que é antifraude?

O antifraude é um sistema que ajuda a aumentar a segurança das empresas contra transações fraudulentas.

Por meio de tecnologias de inteligência artificial e outros mecanismos, a ferramenta analisa o comportamento das compras realizadas no e-commerce, identificando e bloqueando possíveis tentativas de fraudes e golpes.

O objetivo é justamente impedir a realização de compras ilegítimas — feitas com dados de cartão de crédito de terceiros que foram roubados ou clonados, por exemplo —, que podem levar a prejuízos financeiros e outros riscos para o negócio.

Como funciona um sistema antifraude?

Para ficar mais claro como o antifraude atua, é importante entender também como funciona o fluxo de uma transação digital.

Quando o consumidor faz uma compra online, suas informações pessoais e de seu cartão de crédito são enviadas pela adquirente para a bandeira e a instituição emissora do cartão. Esses agentes verificam os dados e, caso as informações sejam validadas, a transação é autorizada.

Porém, quando o e-commerce conta com um sistema antifraude, ainda há mais uma camada de verificação para as compras realizadas na loja. Após a aprovação do emissor do cartão, o antifraude faz uma análise detalhada do comportamento da transação para identificar se a operação é suspeita.

Nesse ponto, geralmente existem dois fluxos de análise de fraude: a análise automática e a manual. Entenda as particularidades de cada uma abaixo.

Análise automática

Na análise automática do antifraude, são utilizados mecanismos de inteligência artificial que verificam e cruzam uma série de dados para entender padrões de fraude e identificar atividades fraudulentas.

Alguns exemplos de dados analisados são informações cadastrais do usuário, histórico de compras e de navegação, perfil de consumo do cliente, geolocalização, histórico transacional do estabelecimento e dados do cartão de crédito.

Esse processo é realizado em questão de segundos, sendo imperceptível para o consumidor final. Então, a partir da análise, o antifraude atribui um grau de risco para a compra, autorizando-a ou não. Se a transação for identificada como suspeita, ela será bloqueada automaticamente.

Um ponto importante para se considerar é que os sistemas antifraude trabalham por meio de tecnologias de Machine Learning. Isso significa que a solução fica melhor e mais apurada conforme o seu uso.

Análise manual

Já o fluxo manual é baseado em uma análise feita por um especialista de risco que faz o cruzamento de diversas informações, consultando manualmente bancos de dados com informações do cliente. Também pode ser feita a confirmação do comprador, via telefone, por exemplo.

Nesse caso, o tempo de análise costuma ser maior, de até 48 horas, mas também garante-se uma maior assertividade, uma vez que há uma pessoa por trás da validação.

Dessa forma, é um fluxo indicado principalmente para casos de “falso positivo”, nos quais a análise automática recusa uma transação saudável.

Vale pontuar que cada solução de antifraude tem seu próprio algoritmo que possui uma rotina diferente para análise das informações da compra, ou seja, o processo varia de acordo com o antifraude utilizado.

Também é importante ter em mente que o antifraude não protege o seu negócio de todas as tentativas de golpe.

De fato, ele é uma ferramenta indispensável para reduzir a ocorrência de fraudes. No entanto, o próprio e-commerce também é responsável por garantir a segurança do seu negócio, devendo atuar na prevenção de fraudes em conjunto com os mecanismos de antifraude.

Para conhecer outras boas práticas que você pode implementar no seu empreendimento, baixe nosso e-book gratuito sobre segurança contra fraudes!

Segurança contra fraudes: como proteger o seu negócio digital?

Quais são os tipos de fraude no e-commerce?

Como explicamos até aqui, o antifraude é uma solução fundamental para proteger o seu negócio de atividades fraudulentas. Mas que fraudes são essas exatamente e como elas funcionam?

Conheça a seguir os principais tipos de fraudes que costumam acontecer no e-commerce!

Fraude deliberada

A fraude deliberada acontece quando uma compra é realizada por meio do roubo de dados — quando uma pessoa tem suas informações pessoais vazadas ou quando seu cartão de crédito é roubado ou clonado, por exemplo.

O fraudador utiliza os dados dessa pessoa para fazer uma compra online. Então, assim que o titular do cartão percebe que há uma cobrança indevida em sua fatura, ele contesta a compra e solicita a devolução do valor diretamente ao seu banco emissor — é o chamado chargeback.

Porém, até o portador do cartão notar a transação em sua fatura, o pedido já pode ter sido entregue para o fraudador, gerando um grande prejuízo financeiro para a loja virtual.

Fraude amigável

A fraude amigável se dá quando uma pessoa próxima do dono do cartão, como um amigo ou um familiar, utiliza seus dados para realizar uma compra, sem o seu conhecimento.

Uma situação comum, por exemplo, é quando um filho faz um pedido com o cartão de crédito dos pais, sem avisá-los previamente.

Esse tipo de fraude não é necessariamente realizada com a intenção de falsificação, mas o titular do cartão pode contestar a compra, gerando despesas para o lojista.

Autofraude

A autofraude acontece por má-fé do próprio portador do cartão. A pessoa faz uma compra com seus dados, mas, após receber o pedido, faz a contestação da transação, afirmando que não fez a compra ou que não recebeu os produtos.

Então, ele solicita o chargeback ao banco emissor para receber o estorno do pagamento, mesmo tendo realizado e recebido o pedido.

Qual é a importância do antifraude?

O antifraude ajuda a aumentar a segurança do e-commerce, protegendo tanto o empreendimento quanto os clientes de fraudes e golpes. Como resultado, essa ferramenta proporciona uma série de vantagens para os negócios digitais. Confira!

Redução de prejuízos financeiros

O principal benefício do uso de um sistema antifraude é a redução de prejuízos financeiros para o seu negócio.

Imagine, por exemplo, uma pessoa que tem seus dados roubados e só percebe uma cobrança indevida em sua fatura após o fraudador já ter realizado e recebido a compra. Nesse caso, o lojista perde os produtos e ainda precisa devolver o valor cobrado para o dono do cartão, tendo que arcar com o prejuízo.

Ao evitar a ocorrência de fraudes na sua loja, o antifraude ajuda a reduzir essas despesas, contribuindo para a saúde financeira do seu e-commerce.

Diminuição do índice de chargeback

As fraudes no comércio eletrônico geralmente geram chargeback, que, como vimos, é o processo de contestação de uma compra — quando o titular de um cartão não reconhece uma transação em sua fatura e solicita ao banco a devolução do valor cobrado.

Se o volume de chargebacks recebidos por um e-commerce for muito alto, há o risco de advertências, multas e descredenciamento junto às bandeiras de cartão.

A Visa e a Mastercard, por exemplo, têm programas que acompanham de perto empresas que ultrapassam um determinado número de contestações por mês, penalizando-as caso os índices se mantenham acima dos limites aceitáveis.

Portanto, ao ajudar a prevenir fraudes no seu e-commerce, o antifraude contribui para a diminuição do seu índice de chargeback, evitando maiores complicações para a operação.

Segurança para os consumidores

Além de proteger o seu e-commerce, o antifraude também oferece mais segurança para os consumidores. Afinal, o sistema bloqueia transações suspeitas que possam usar os seus dados pessoais em tentativas de fraude.

Isso contribui para uma melhor experiência dos consumidores na sua loja e para a percepção do seu negócio como uma marca segura e confiável. Dessa forma, é possível preservar a credibilidade e reputação do negócio no mercado.

Mais praticidade para o negócio

Por fim, as análises automáticas do antifraude também garantem mais praticidade, eficiência e agilidade para a rotina de trabalho do seu e-commerce.

Afinal, você não terá que fazer análises manuais de cada transação para encontrar atividades suspeitas, além de ter que lidar com menos burocracias e problemas decorrentes de fraudes e pedidos de chargeback.

Como escolher um antifraude para e-commerce?

Agora que você sabe o que é o antifraude e a sua importância para a segurança de um negócio digital, é hora de escolher a melhor solução para a sua empresa.

O Pagar.me é um meio de pagamento online que já conta com um antifraude integrado, oferecendo uma camada extra de proteção para o seu e-commerce e garantindo a saúde das suas transações.

Nosso sistema faz análises automáticas baseadas em dados e padrões, como as últimas compras feitas pelo usuário, o histórico transacional do negócio, o perfil de compra atrelado ao cartão e ao portador, o número de tentativas de compra, entre diversas outras variáveis.

A partir disso, nosso antifraude utiliza o Score Pagar.me para atribuir um nível de risco de fraude a cada transação, de acordo com as chances dela ser saudável ou apresentar possibilidades de se tornar um chargeback.

São cinco níveis de risco (muito baixo, baixo, moderado, alto ou muito alto), sendo que os três primeiros são para transações aprovadas e os dois últimos para transações recusadas.

Você pode consultar o risco atribuído a cada transação diretamente no Dashboard do Pagar.me. Abaixo, você confere dois exemplos de visualização — um de uma transação aprovada com risco muito baixo e outro de uma transação recusada com risco muito alto.


Transação aprovada com risco muito baixo pelo antifraude

Transação recusada com risco muito alto pelo antifraude

Essas informações oferecem mais transparência e visibilidade para você entender como está a saúde geral da sua operação.

Além disso, é possível utilizar os resultados para tomar decisões estratégicas — por exemplo, realizar o estorno de uma compra suspeita ou aprovar manualmente uma transação que você sabe que é legítima através da revisão manual.

Para completar, o Pagar.me ainda oferece um checkout seguro e transparente, certificação PCI Compliance e histórico de alta estabilidade. Assim, você pode oferecer uma experiência confiável e fluida para os seus clientes.

Se você quer contar com o antifraude e outras funcionalidades do Pagar.me para vender online, cadastre-se já ou solicite uma proposta para o nosso time de especialistas!


Cadastre-se no Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

22, fevereiro, 2024

Como fazer live no Instagram? Passo a passo + 5 dicas

Aprenda o passo a passo de como fazer live no Instagram e confira dicas para fazer uma transmissão que gere vendas para a sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

20, fevereiro, 2024

Estoque máximo: o que é e como calcular o indicador?

Este conteúdo vai te ensinar como calcular o estoque máximo para mensurar o volume total de produtos que podem ser armazenados no seu negócio. Confira!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

19, fevereiro, 2024

Pagamento recusado: motivos para acontecer e como resolver

Ter um pagamento recusado pode ser um grande problema para a conversão de vendas online. Entenda os motivos para essa situação e como lidar com ela!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo