Bandeiras de cartão: entenda seu papel nas transações financeiras

E-commerce

26 de março de 2021 (atualizado em 12 de novembro de 2021)

O mercado de pagamentos para o cliente final é resumido em um cartão plástico e a aprovação da compra em poucos segundos.

No entanto, para o funcionamento desse sistema com eficiência e segurança, muitos agentes estão envolvidos na operacionalização de uma compra, seja on ou offline. No meio desse ecossistema, as bandeiras de cartão de crédito têm um papel chave.

Mas você sabe o que elas são, como funcionam e qual a sua importância para as transações financeiras?

Principalmente para quem tem um e-commerce, ou está começando a vender na internet, entender esse conceito é muito importante.

Afinal, o cartão de crédito é o método de pagamento mais utilizado para compras online, com 90% de adesão dos consumidores — esses são os dados da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC).

Neste artigo, vamos explicar o que são as bandeiras de cartão, qual o seu papel e como aceitá-las. Assim, você conseguirá compreender o funcionamento das transações digitais e escolher a melhor solução de meio de pagamento para o seu negócio. Acompanhe!

O que são as bandeiras de cartão?

As bandeiras de cartão são empresas reguladoras que definem regras do mercado de cartões de crédito, como:

  • a quantidade de parcelas em que é possível dividir um pagamento;
  • os estabelecimentos comerciais onde cada bandeira é aceita, a nível nacional e internacional;
  • as taxas sobre a operação de estabelecimentos de diferentes segmentos de atuação;
  • os limites de fraudes e chargebacks (processo de contestação de uma compra, quando o consumidor não a reconhece) que um comércio eletrônico pode receber.

Além disso, também são responsáveis pela comunicação entre a adquirente e o emissor do cartão de crédito, para a validação das transações.

As bandeiras de cartão regulam tanto o mercado físico quanto o digital. Mas vale lembrar que as compras online são muito mais complexas, devido aos riscos envolvidos e às tentativas de fraude constantes.

Nesse caso, não só as bandeiras cumprem um papel importante de fiscalizadoras, como os demais agentes envolvidos em uma transação — que também podem impor as próprias sanções em casos de fraudes e chargebacks recebidos pelo e-commerce.

Quais são os agentes de uma transação digital?

Veja a seguir o papel de cada uma das instituições envolvidas em uma transação digital.

Emissores de cartão

Os emissores são instituições, geralmente bancos, que habilitam e emitem cartões para os usuários. Esses agentes normalmente também atuam como operadoras de cartão, concedendo crédito aos consumidores, estabelecendo um certo limite para isso e cobrando o pagamento das faturas e taxas de juros — quando aplicável.

Vale ressaltar que, além dos bancos, também existem redes de lojas e companhias aéreas que fazem a emissão de cartões de crédito para seus clientes.

Meios de pagamento

Já as adquirentes, ou credenciadoras, são empresas que processam e liquidam as transações financeiras realizadas por cartão, fazendo a comunicação com as bandeiras e os emissores para isso.

São as adquirentes que habilitam o lojista a receber transações via cartão de crédito e, posteriormente, repassam para ele os valores recebidos pelos emissores. É o caso da Stone, da Cielo e da Rede, por exemplo.

No mundo físico, para receber pagamentos por cartão, o lojista pode contratar diretamente uma adquirente na forma de POS (Point of Sale), que é a maquininha de cartão de crédito. Ou, ainda, uma subadquirente, dependendo do tipo de negócio, nicho e terminal mais adequado para sua atividade.

Já no ambiente online, apesar de ser possível contratar diretamente uma adquirente, isso não é indicado, devido à dificuldade de integração e necessidade de adquirir separadamente outras tecnologias necessárias para uma transação segura, como é o caso do antifraude.

Por isso, é muito mais comum que os empreendedores optem por usar uma solução que faça a intermediação com a adquirente, seja uma subadquirente, um gateway de pagamento ou um Provedor de Serviços de Pagamento (PSP).

Cada um desses meios de pagamento é indicado para um porte de negócio. Sendo o gateway uma solução mais personalizada e, por isso, procurada por negócios mais robustos; já a subadquirente ou PSP, por negócios menores — que precisam de uma solução simplificada, o chamado plug-and-play, que já é pronto para usar.

Vale destacar que essas soluções já contam com contratos com uma ou mais adquirentes, sendo esse mais um benefício para o lojista. Assim, em caso de falhas técnicas que inviabilizem a compra, o próprio meio de pagamento faz retentativas de pagamento — uma importante funcionalidade desses sistemas para o aumento da conversão de vendas.

Antifraude

Nas compras online, ainda existe mais um agente no fluxo de aprovação de uma compra, que é o antifraude. Então, após a aprovação da compra pela bandeira e banco emissor, a mesma ainda é validada pelo antifraude.

Esse sistema alia histórico de compras dos clientes, informações do comportamento padrão de compra na loja e inteligência artificial para identificar se uma transação não é fraudulenta — o que muitas vezes ocorre, com o roubo de dados de cartão.

Qual o papel das bandeiras de cartão nesse fluxo?

Fluxo da transação digital

No momento da compra, a adquirente se conecta com a bandeira que, por sua vez, aciona a instituição emissora, que verifica o limite de crédito do consumidor e aprova ou não a transação.

Dessa forma, o papel das bandeiras é regular o uso do cartão de crédito e fazer a ponte entre a adquirente e o emissor do cartão, para a validação e aprovação das compras. Com isso, as bandeiras garantem mais segurança para o fluxo das transações financeiras, tanto físicas quanto digitais.

Quais são as principais bandeiras de cartão?

Antigamente, o mercado de pagamentos brasileiro era caracterizado por uma exclusividade entre bandeiras e adquirentes. Porém, a partir de 2010, o Banco Central pôs fim a esse cenário, abrindo oportunidade para novas empresas de pagamento.

Desde então, além das líderes de mercado, Visa e Mastercard, houve o surgimento e crescimento de novas bandeiras, como American Express, Elo, Hipercard, Diners Club, Aura, Discover e JCB.

Também ganharam espaço bandeiras de cartões corporativos de benefícios, como: Sodexo, Ticket, Alelo e VR.

Conheça a seguir o histórico de cada uma delas.

1. Visa

A Visa iniciou suas operações em 1958, com o lançamento do primeiro cartão de crédito no mundo, o BankAmericard, nos Estados Unidos. Já no Brasil, a empresa atua desde 1971.

Atualmente, é uma das bandeiras de cartão mais relevantes do mundo, presente em mais de 200 países, aceitando pagamentos em mais de 30 milhões de comércios.

2. Mastercard

A Mastercard, também fundada nos Estados Unidos, iniciou suas operações em 1966. Foi pioneira em diversos avanços do segmento, como o cartão corporativo e holograma a laser.

A empresa começou suas atividades no Brasil em 1996, sendo hoje uma das principais bandeiras do país, ao lado da Visa e Elo. Está presente em mais de 210 países, com mais de 35 milhões de estabelecimentos parceiros.

3. American Express

Também conhecida como Amex, é uma bandeira de cartão norte-americana que foi criada em 1850. Transaciona anualmente mais de USD 1 trilhão e atende um público de poder aquisitivo mais elevado, oferecendo programa de pontos, descontos exclusivos e acessos VIP para seus clientes.

4. Elo

Foi a primeira bandeira de cartão nacional, criada em 1970, pelo Bradesco, e relançada em 2011, com a união de forças do Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica. A partir de seu relançamento, adotou o objetivo de atender a população de baixa renda, até então, desbancarizada.

Atualmente, já tem mais de 140 milhões de cartões emitidos, atendendo diversas parcelas do público nacional, e é aceita em mais de 200 países.

Mesmo a Visa e a Mastercard sendo ainda as principais bandeiras de cartão no cenário nacional, a Elo vem se aproximando desse ranking. Em 2016, teve o seu boom, conquistando a marca de mais de 7 milhões de cartões emitidos.

5. Hipercard

Criada em 1969, no Recife, a Hipercard é bandeira e emissora de cartão. Conta com forte presença no nordeste brasileiro, mas, atualmente, já marca presença em todo o território nacional.

Vale destacar que a Hiper é a administradora do cartão do Grupo Bom Preço, o único cartão de loja do Brasil aceito amplamente (presente em mais de um milhão de comércios em todo o país). Conta ainda com parcerias com o Itaú e a rede Walmart.

6. Diners Club

Fundada em 1950, nos Estados Unidos, a Diners Club foi a primeira empresa de cartões independente criada no mundo.

Seus fundadores também foram os idealizadores do cartão de crédito — a ideia surgiu após um constrangimento de não conseguirem pagar um jantar por terem esquecido a carteira em casa.

Eles solucionaram o problema entregando o cartão de visitas no estabelecimento para que a conta fosse cobrada em seus escritórios. Assim, surgiu a ideia do cartão plástico como forma de pagamento.

No Brasil, a Diners Club já foi operada pelo Itaú e, recentemente, foi incorporada à bandeira Elo. É uma bandeira voltada para o público de alto poder aquisitivo e, atualmente, pertence ao Citibank.

7. Aura

A bandeira Aura faz parte da empresa Celatem Brasil. Desde 2011, a marca tem perdido espaço, já que a Celatem vem priorizando a emissão de cartões com a bandeira Mastercard.

8. Discover

A Discover é dona da Diners Club, sendo a terceira maior bandeira de cartão do mundo. A empresa não emite cartões nacionais, mas é aceita em diversos estabelecimentos do país.

Além disso, conta com um papel importante na aceitação de outras bandeiras a nível internacional. Esse é o caso da Elo que, após negociações com a Diners, em 2015, passou a ampliar a sua atuação mundialmente.

9. JCB

A JCB é uma bandeira de origem japonesa criada em 1961, que está presente em mais de 190 países. Em 2020, contava com mais de 140 milhões de cartões emitidos ao redor do mundo e mais de USD 300 bilhões de volume transacionado a nível mundial.

No Brasil, a Caixa Econômica emite cartões com a JCB como bandeira, sendo que seu público-alvo são descendentes de japoneses e pessoas com algum tipo de ligação e afinidade com o país de origem da bandeira.

10. Sodexo, Ticket, Alelo e VR

Todas essas bandeiras são utilizadas em cartões corporativos de benefícios, disponibilizando vale-refeição e vale-alimentação.

A partir da pandemia do novo Coronavírus, houve um aumento de demanda para a aceitação dessas bandeiras no ambiente online. Afinal, com o home office, os hábitos diários dos trabalhadores foram transferidos para dentro de casa.

Assim, aplicativos de Delivery, supermercados e de comida em geral passaram a buscar meios de pagamento que viabilizassem a utilização de voucher online de maneira digital.

A Mundipagg, empresa Stone Co. agora incorporada ao Pagar.me, foi pioneira no desenvolvimento dessa funcionalidade e, no ápice da pandemia, viu crescer em 6.000% o uso da modalidade no país.

Como aceitar as principais bandeiras de cartão no e-commerce?

Com tantas opções, é muito importante que você, lojista, atente-se às bandeiras aceitas pelo sistema de pagamentos do seu e-commerce. O ideal é contar com uma única solução para receber transações por cartões de diferentes bandeiras.

O Pagar.me é um meio de pagamento completo que aceita as principais bandeiras de cartão do mercado para você vender online com segurança e eficiência.

Nosso sistema é integrável com as principais plataformas de e-commerce e ainda oferece funcionalidades otimizadas para a conversão e a gestão do seu negócio. Assim, você consegue aumentar suas vendas, oferecendo a melhor experiência de pagamento para os seus clientes.

Agora que você já sabe qual é a função das bandeiras de cartão de crédito e como aceitá-las no seu e-commerce, entenda como melhorar a experiência de pagamento dos seus clientes no artigo: Flexibilidade no pagamento: como facilitar a compra no seu e-commerce?

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

29, novembro, 2021

Multimeios de Pagamento: como esse recurso ajuda a aumentar as conversões?

Conheça o Multimeios de Pagamento, funcionalidade que permite o uso de mais de uma forma de pagamento em uma compra online.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

26, novembro, 2021

Como fazer a política de troca e devolução da sua loja?

A política de troca e devolução é um documento indispensável para qualquer loja. Veja como criar a do seu negócio, visando oferecer a melhor experiência ao cliente!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

25, novembro, 2021

Como aumentar o ticket médio? 8 técnicas para seu negócio

Descobrir como aumentar o ticket médio pode ser um grande desafio. Confira as estratégias que separamos para o seu negócio!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo