Black Friday online: 5 maneiras de vender no digital em 2021

E-commerce

24 de setembro de 2020 (atualizado em 27 de agosto de 2021)

A Black Friday, sem dúvidas, é o evento mais importante no calendário do varejo e uma ocasião muito esperada pelos consumidores. Afinal, estamos falando da data mais promocional do ano!

Se a edição anterior foi mais digital do que nunca, para 2021 podemos dizer que a Black Friday será muito especial, com o Pix se consolidando como meio de pagamento.

Se você quer entender como pode entrar no comércio eletrônico e garantir rentabilidade para o seu negócio fazendo uma Black Friday online pela primeira vez, este artigo é para você!

Como será a Black Friday online 2021?

De acordo com a pesquisa “Black Friday 2021”, da UOL e MindMiners, 67% dos brasileiros pretendem aproveitar as promoções na data.

Mas, se você pensa que mais consumidores se traduzem, pura e simplesmente, em maior rentabilidade para o seu negócio, é preciso ter em mente que esse público está cada vez mais antenado e exigente!

De acordo com a Behup na pesquisa “Retomada do Consumo 2021 para Inteligência de Mercado Globo”, em uma escala de 1 a 5, os consumidores:

  • consideram a avaliação de outros clientes sobre o produto como fator importante para a tomada de decisão (4,3);
  • dão preferência para lojas que ofereçam diversificadas opções de pagamento (4,1);
  • e consideram o valor do frete como um motivo para desistência da compra (4,0).

Levando em consideração todos esses pontos, confira a seguir 5 maneiras de aproveitar as oportunidades de vendas no ambiente digital para fazer da sua Black Friday 2021 um sucesso!

1. E-commerce próprio

A primeira alternativa para vender online é a tradicional operação em um site próprio, por meio de uma plataforma de e-commerce.

Quando você opta por ter uma loja online própria, deve entender que não haverá intermediários na transação. Ou seja, toda negociação é feita entre você, vendedor, e o comprador.

Mas, com grandes poderes, vêm sempre grandes responsabilidades! Logo, ter um e-commerce próprio implica em uma série de escolhas, como:

Além disso, outra grande preocupação de quem tem uma loja virtual é o número de acessos. É fundamental atrair tráfego, ou seja, um volume de pessoas que tenha o perfil da sua marca, para converter em vendas.

A Black Friday está bem próxima, mas ainda há tempo para colocar os seus produtos em uma loja virtual e aproveitar a sazonalidade!

Para conseguir viabilizar isso a tempo, procure plataformas e soluções de pagamento que sejam plug-and-play. Assim, basta fazer escolhas de infraestrutura já prontas para agilizar o processo e fazer da ocasião um sucesso.

Depois disso, o importante é amarrar suas promoções em uma bela campanha e estruturar as estratégias de divulgação de diferentes formas para atrair o público para o seu site. Falaremos mais disso adiante.

2. Marketplaces

Outra alternativa para começar a vender online na Black Friday de forma rápida é cadastrando seus produtos em marketplaces.

Um marketplace funciona como uma espécie de shopping virtual. Esta operação é considerada vantajosa para o consumidor, visto que reúne diversas marcas e lojas em um só lugar, facilitando a procura pelo melhor produto e melhor preço e, ainda, podendo envelopar todas as compras em um pagamento único (para fazer compras parceladas, é uma vantagem e tanto!).

São muitas as empresas que conhecemos que operam no modelo de marketplace, recrutando lojistas: Americanas.com, Shoptime, Magazine Luiza e OLX, por exemplo.

A vantagem de vender por meio desse modelo de negócio é conseguir escalar suas vendas rapidamente. Afinal, a principal vantagem dessas plataformas é a visibilidade, já que grande parte dessas lojas têm um excelente posicionamento nos sites de busca e uma marca fortalecida.

Na Black Friday, sua exposição é ainda maior, uma vez que os marketplaces costumam reforçar o investimento em marketing digital nesta época.

Lembrando que toda essa visibilidade tem um preço a ser pago, por isso, uma porcentagem do valor das suas vendas fica com a plataforma na qual você se cadastrou.

Cuidados para escolher o seu marketplace

Ao optar por operar em um marketplace, tome cuidado, em primeiro lugar, com a dependência.

Isso porque, se um marketplace decide encerrar suas atividades, todas as marcas envolvidas perdem seu canal de venda.

Por isso, busque conciliar a venda em um marketplace com a manutenção de uma loja online própria, para, aos poucos, fortalecer a sua marca.

E por falar em marca, esse também é um dos riscos de ficar restrito ao marketplace. A operação pode afetar a relevância da sua marca - será mais fácil o consumidor acreditar que comprou um produto da Americanas, por exemplo, do que identificar o nome da sua loja na página de anúncio do produto.

3. Redes sociais

Você sabia que 74% dos brasileiros usam as redes sociais para consumo? É o que mostrou a pesquisa da All iN | Social Miner, em parceria com a Etus e a Opinion Box. No entanto, nem sempre a compra é finalizada na rede social, que, na maioria das vezes, é utilizada para checar avaliações de outros usuários e comparar valores.

Já de acordo com a pesquisa da Behup, 80% dos brasileiros realizaram compras através de novos canais de venda, como WhatsApp ou redes sociais de lojas na última Black Friday.

Então, marcar presença nas redes sociais que conversam com o seu público-alvo é essencial para criar uma vitrine, um espaço de discussão entre os próprios consumidores, criar relacionamento entre a marca e os clientes e, ainda assim, efetivar vendas.

Mas vale lembrar que é preciso ter uma estratégia bem estruturada para atingir o público-alvo da sua marca e proporcionar a melhor experiência de compra para fidelizar clientes.

Com tanta informação e tamanha concorrência disponível online, você precisa oferecer valor para chamar a atenção da sua audiência. Ficar o tempo todo empurrando produtos não é a melhor estratégia!

Com informações consistentes, as pessoas vão entender que você é uma referência em seu mercado e terão mais confiança em sua marca.

Leia também: 7 estratégias de gestão de redes sociais na Black Friday

Potencializando as vendas pelas redes sociais na Black Friday

Já estruturou suas estratégias para criar conteúdo de qualidade e criativo para os clientes nas redes sociais? Então agora é hora de pensar em como vender nesses canais.

O social commerce, ou seja, a venda direta por redes sociais, é uma prática que chegou para ficar - e, por isso, as plataformas vêm oferecendo cada vez mais funcionalidades que favorecem as relações comerciais.

Hoje, já é possível lançar mão do Instagram Shopping e do Marketplace do Facebook, por exemplo. Assim, o cliente tem uma experiência de compra completa na sua rede social preferida.

Vendas com link de pagamento

Se uma pessoa manifesta interesse pelo seu produto pelos comentários ou mandando uma mensagem, é possível garantir toda a compra por meio das redes sociais usando um link de pagamento.

Com essa ferramenta, você mesmo gera uma URL com todas as informações da venda (produto, descrição, quantidade, valor, número de parcelas e forma de pagamento), na sua identidade visual, e envia para o seu cliente por WhatsApp, e-mail ou mensagem via Instagram ou Facebook.

Se preferir, pode divulgar esse link em grupos ou nas próprias publicações da sua página e limitar a quantidade de produtos disponíveis. Dessa forma, você acelera o contato com os clientes e não corre o risco de vender além do estoque.

Sem contar que, em época de Black Friday, esse pode ser um recurso e tanto para surpreender a clientela com uma promoção relâmpago com o gatilho mental da escassez: poucos produtos à disposição e por tempo limitado!

4. Live commerce

Você já ouviu falar em live commerce? Essa é uma fórmula de sucesso muito utilizada por grandes lojas que pode ser reproduzida no seu negócio para garantir o sucesso das vendas na sua Black Friday online em 2021!

Assim como as lives de cantores famosos marcaram a pandemia, a venda de produtos ao vivo também tem se mostrado um sucesso que caiu no gosto dos consumidores. De acordo com a pesquisa da Behup, 10% dos consumidores participaram de live commerces durante a última Black Friday. Desses, 53% acabou comprando algum produto.

Para quem vende produtos físicos online, o ao vivo conta com diversas vantagens, entre as principais: possibilidade de tirar dúvidas dos clientes em tempo real e, de fato, mostrar o produto em detalhes com suas funcionalidades.

Além disso, com um bom apresentador e a presença de um digital influencer reconhecido pelo seu nicho, é possível vender o item de maneira fluida e criativa. Ainda de acordo com a pesquisa da Behup, as categorias com maior apelo entre os consumidores no live commerce estão: roupas e acessórios (71%) e eletrônicos (69%).

5. Como oferecer um preço competitivo?

Bom, até agora trouxemos dicas valiosas sobre os possíveis canais de venda para você começar a vender online nessa Black Friday.

Mas, além de pensar em estratégias para atrair e encantar os clientes, é preciso ponderar que um dos critérios que os consumidores levam em consideração para aproveitar as promoções da Black Friday são os preços, incluindo o frete, e métodos de pagamento - como já adiantamos no início do artigo.

Por isso, é importante estruturar também a sua logística, pensando desde as empresas com as quais fará parceria para realizar a entrega, até o tamanho e formato das embalagens, para evitar encarecer o frete por não ter estruturado bem esse importante aspecto logístico.

Negocie com fornecedores (e mais de um fornecedor) para encontrar as soluções mais adequadas para o seu público.

Além disso, priorize trabalhar com uma tecnologia de pagamento que ofereça todas as formas de pagamento que o seu cliente precisa.

A grande estreia do Pix será na Black Friday 2021, uma vez que o pagamento instantâneo foi lançado apenas uma semana antes da edição passada e ainda não tinha muitos adeptos (principalmente entre as lojas).

Se ele já tem sido um sucesso entre os clientes, em meio a Black Friday, tem tudo para causar recordes. Afinal, a instantaneidade proporcionada por ele tem tudo a ver com a ocasião - além dos custos zero para o cliente e muito mais baixos para o lojista quando comparado com outros métodos de pagamento.

Então, lançar mão do Pix nesta Black Friday é indispensável e ele pode ser um recurso interessante para oferecer preços mais atrativos - com taxas mais baixas, é viável oferecer mais descontos!

O Pagar.me é o Provedor de Serviços de Pagamento pioneiro no Brasil. Com integração com mais de 100 plataformas de e-commerce e tecnologia plug-and-play, é só contratar para começar a usar!

Além disso, conta com as formas de pagamento que o seu cliente deseja e, ainda, a maior taxa de conversão de vendas do mercado.

Cadastre-se agora para receber o contato de uma das nossas pessoas para fazer da sua Black Friday online um sucesso!


Cadastre-se no Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

29, novembro, 2021

Multimeios de Pagamento: como esse recurso ajuda a aumentar as conversões?

Conheça o Multimeios de Pagamento, funcionalidade que permite o uso de mais de uma forma de pagamento em uma compra online.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

26, novembro, 2021

Como fazer a política de troca e devolução da sua loja?

A política de troca e devolução é um documento indispensável para qualquer loja. Veja como criar a do seu negócio, visando oferecer a melhor experiência ao cliente!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

25, novembro, 2021

Como aumentar o ticket médio? 8 técnicas para seu negócio

Descobrir como aumentar o ticket médio pode ser um grande desafio. Confira as estratégias que separamos para o seu negócio!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo