Como empreender do zero? 8 passos para começar seu próprio negócio

E-commerce

3 de janeiro de 2023

A jornada do empreendedorismo tem sido escolhida por cada vez mais brasileiros em busca de transformar a sociedade por meio de um negócio próprio.

Mas por onde começar? Se você quer ter sucesso com a sua empresa, é essencial ter em mente que empreender envolve muito planejamento e estudo de mercado. Por isso, não se deve pular nenhuma etapa ao longo do caminho.

Para te ajudar a tirar o seu projeto do papel, preparamos este conteúdo com os principais passos de como empreender do zero. Vamos juntos!

1. Identifique uma oportunidade de negócio

Esse é o passo básico para começar a empreender! Diante da amplitude de possibilidades de empreendedorismo, é importante delinear a sua ideia de negócio a partir da identificação de uma oportunidade de mercado.

Algumas opções são:

  • vender um produto ou serviço totalmente novo;
  • oferecer uma solução que já existe, mas de forma inovadora e diferenciada;
  • comercializar um produto ou serviço que complemente outra solução já existente;
  • atender um nicho de mercado ainda pouco explorado pelo mercado.

Uma dica é buscar uma área com a qual você tenha um certo grau de familiaridade. Já tendo conhecimento sobre esse setor, é mais fácil encontrar uma necessidade que ainda não está sendo bem atendida pelas soluções existentes.

2. Faça um estudo do mercado

Para garantir que existe uma demanda pelo produto ou serviço idealizado, você deve se basear em dados reais de pesquisas de mercado.

Você pode conduzir essas pesquisas por conta própria, entrevistando potenciais clientes e divulgando formulários online, contratar uma empresa especializada ou utilizar estudos já divulgados.

Analisar o mercado também é essencial para mapear os seus potenciais concorrentes, identificando os pontos fracos e fortes de cada um e entendendo como o seu empreendimento se posicionará perante eles.

3. Defina o seu público-consumidor

Quem será o cliente ideal do seu negócio? Essa é uma definição imprescindível para quem está começando a empreender, que pode ser respondida por meio de ferramentas como:

  • Público-alvo: perfil do grupo de consumidores que você quer alcançar, com características e comportamentos em comum, como gênero, faixa etária, classe social, região, interesses e valores;
  • Persona: personagem que representa o comprador ideal do seu negócio, reunindo os seus principais dados demográficos, hábitos de consumo, estilo de vida, necessidades e desafios enfrentados;
  • Mapa da empatia: ferramenta visual que traça um perfil ainda mais detalhado e profundo do cliente, a partir do entendimento dos sentimentos, desejos e pensamentos do consumidor.

Independentemente da ferramenta utilizada, é importante se basear em dados reais, provenientes de entrevistas e pesquisas.

Entendendo quem será o seu público-consumidor, você poderá tomar as melhores decisões, sempre colocando o cliente no centro do seu negócio — estratégia conhecida como Customer Centric.

4. Estruture um diferencial competitivo

Se você quer se destacar da concorrência no mercado, é preciso encontrar um diferencial competitivo para o seu negócio. Essa diferenciação pode ser obtida por meio de diferentes estratégias, dependendo do seu público-alvo e dos seus objetivos.

Alguns exemplos de diferenciais competitivos são:

  • preços mais baixos;
  • qualidade superior do produto ou serviço;
  • atendimento humanizado e ágil;
  • alto valor percebido da marca;
  • processo de produção sustentável;
  • exclusividade das soluções etc.

5. Selecione o seu modelo de negócio

Outra definição inicial que você deve fazer é em relação ao modelo do seu negócio. Pensando especificamente em um empreendimento digital, as principais possibilidades são:

  • Loja virtual: venda de produtos físicos por meio de um site próprio;
  • Marketplace: comercialização em plataformas de marketplaces, em troca de uma comissão pelas vendas;
  • Social commerce: venda por meio de redes sociais como Instagram, Facebook e WhatsApp;
  • Infoprodutos: oferta de produtos digitais, como e-books, consultorias, cursos online e webinars;
  • Recorrência: venda recorrente de um produto ou serviço, por meio de planos, mensalidades ou assinaturas;
  • Software as a Service (SaaS): cobrança recorrente para o uso de um determinado software.

Baixe o Guia definitivo de como montar um e-commerce!

6. Faça um planejamento financeiro

Calcule o investimento inicial para começar o seu empreendimento do zero, levando em conta todos os custos para colocar a operação em funcionamento e o capital de giro para manter o negócio até que ele comece a gerar lucro.

Um indicador muito importante é o break even point, ou ponto de equilíbrio, que indica o volume de vendas necessário para cobrir todos os custos da operação, em um certo período de tempo.

Também é fundamental definir como serão levantados os recursos para a criação da empresa. O capital inicial pode ser de investimento próprio, da participação de sócios ou de linhas de crédito, por exemplo.

7. Formalize a sua empresa

Ter um CNPJ permite emitir notas fiscais, fazer o recolhimento adequado de impostos e ter acesso a soluções diferenciadas, como linhas de crédito e financiamentos especiais. Dessa forma, não deixe de formalizar o seu empreendimento corretamente.

Uma opção para quem está começando é se formalizar como Microempreendedor Individual (MEI). Voltada para quem fatura até R$ 81.000,00 por ano, essa modalidade conta com uma guia única de pagamento de tributações.

Como tirar CNPJ? Passo a passo para formalizar sua empresa

8. Monte um plano de negócio

Agora é a hora de organizar todas as informações sobre o seu empreendimento em um plano de negócio.

Esse documento permite analisar a viabilidade da empresa e ter uma visão aprofundada do funcionamento, objetivos e cenário do negócio, funcionando como um guia para a tomada das decisões mais estratégicas.

Dentre os elementos que devem ser incluídos no plano de negócio, estão:

  • dados da empresa, como CNPJ, natureza jurídica e capital social;
  • descrição do negócio, produtos e serviços vendidos, público-alvo, setor de atuação e diferenciais competitivos;
  • análise SWOT, identificando as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do negócio;
  • análise do mercado e dos concorrentes;
  • plano de marketing, detalhando as estratégias de divulgação e promoção;
  • plano operacional, explicando como funcionará a operação;
  • plano financeiro, com cálculo do investimento necessário e previsões de faturamento e lucratividade.

Com esse documento em mãos, você poderá começar a tirar o seu empreendimento do papel, seguindo as estratégias definidas.

Dica extra: continue aprofundando seus conhecimentos!

Para quem está começando a empreender do zero, uma dica de ouro é nunca parar de aprofundar os seus conhecimentos! Invista em capacitação e mantenha-se atualizado sobre as principais tendências e novidades do mercado.

Há muito conteúdo gratuito na internet que pode te ajudar a começar o seu negócio com sucesso e alavancar cada vez mais as suas vendas.

Se você quer ficar em dia com as melhores estratégias de vendas online, nós enviamos uma newsletter semanal com conteúdos valiosos para o seu e-commerce. Inscreva-se já gratuitamente!


Inscreva-se na newsletter do Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

02, fevereiro, 2023

O que é review de produto e como incentivá-lo no seu e-commerce?

Quer aumentar a credibilidade da sua marca e alavancar suas vendas? Entenda o que é review de produto e como aplicar essa estratégia!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

01, fevereiro, 2023

Papelaria virtual: como montar uma papelaria online?

O setor de papelarias virtuais é uma das opções para quem quer começar a vender online. Confira o passo a passo para montar a sua!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

31, janeiro, 2023

Mercado de luxo: cenário e tendências do setor em 2023

O mercado de luxo é um dos setores que permanece em crescimento diante da crise macroeconômica. Conheça os seus dados e tendências!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

Como empreender do zero? 8 passos para começar seu próprio negócio

E-commerce

3 de janeiro de 2023

A jornada do empreendedorismo tem sido escolhida por cada vez mais brasileiros em busca de transformar a sociedade por meio de um negócio próprio.

Mas por onde começar? Se você quer ter sucesso com a sua empresa, é essencial ter em mente que empreender envolve muito planejamento e estudo de mercado. Por isso, não se deve pular nenhuma etapa ao longo do caminho.

Para te ajudar a tirar o seu projeto do papel, preparamos este conteúdo com os principais passos de como empreender do zero. Vamos juntos!

1. Identifique uma oportunidade de negócio

Esse é o passo básico para começar a empreender! Diante da amplitude de possibilidades de empreendedorismo, é importante delinear a sua ideia de negócio a partir da identificação de uma oportunidade de mercado.

Algumas opções são:

  • vender um produto ou serviço totalmente novo;
  • oferecer uma solução que já existe, mas de forma inovadora e diferenciada;
  • comercializar um produto ou serviço que complemente outra solução já existente;
  • atender um nicho de mercado ainda pouco explorado pelo mercado.

Uma dica é buscar uma área com a qual você tenha um certo grau de familiaridade. Já tendo conhecimento sobre esse setor, é mais fácil encontrar uma necessidade que ainda não está sendo bem atendida pelas soluções existentes.

2. Faça um estudo do mercado

Para garantir que existe uma demanda pelo produto ou serviço idealizado, você deve se basear em dados reais de pesquisas de mercado.

Você pode conduzir essas pesquisas por conta própria, entrevistando potenciais clientes e divulgando formulários online, contratar uma empresa especializada ou utilizar estudos já divulgados.

Analisar o mercado também é essencial para mapear os seus potenciais concorrentes, identificando os pontos fracos e fortes de cada um e entendendo como o seu empreendimento se posicionará perante eles.

3. Defina o seu público-consumidor

Quem será o cliente ideal do seu negócio? Essa é uma definição imprescindível para quem está começando a empreender, que pode ser respondida por meio de ferramentas como:

  • Público-alvo: perfil do grupo de consumidores que você quer alcançar, com características e comportamentos em comum, como gênero, faixa etária, classe social, região, interesses e valores;
  • Persona: personagem que representa o comprador ideal do seu negócio, reunindo os seus principais dados demográficos, hábitos de consumo, estilo de vida, necessidades e desafios enfrentados;
  • Mapa da empatia: ferramenta visual que traça um perfil ainda mais detalhado e profundo do cliente, a partir do entendimento dos sentimentos, desejos e pensamentos do consumidor.

Independentemente da ferramenta utilizada, é importante se basear em dados reais, provenientes de entrevistas e pesquisas.

Entendendo quem será o seu público-consumidor, você poderá tomar as melhores decisões, sempre colocando o cliente no centro do seu negócio — estratégia conhecida como Customer Centric.

4. Estruture um diferencial competitivo

Se você quer se destacar da concorrência no mercado, é preciso encontrar um diferencial competitivo para o seu negócio. Essa diferenciação pode ser obtida por meio de diferentes estratégias, dependendo do seu público-alvo e dos seus objetivos.

Alguns exemplos de diferenciais competitivos são:

  • preços mais baixos;
  • qualidade superior do produto ou serviço;
  • atendimento humanizado e ágil;
  • alto valor percebido da marca;
  • processo de produção sustentável;
  • exclusividade das soluções etc.

5. Selecione o seu modelo de negócio

Outra definição inicial que você deve fazer é em relação ao modelo do seu negócio. Pensando especificamente em um empreendimento digital, as principais possibilidades são:

  • Loja virtual: venda de produtos físicos por meio de um site próprio;
  • Marketplace: comercialização em plataformas de marketplaces, em troca de uma comissão pelas vendas;
  • Social commerce: venda por meio de redes sociais como Instagram, Facebook e WhatsApp;
  • Infoprodutos: oferta de produtos digitais, como e-books, consultorias, cursos online e webinars;
  • Recorrência: venda recorrente de um produto ou serviço, por meio de planos, mensalidades ou assinaturas;
  • Software as a Service (SaaS): cobrança recorrente para o uso de um determinado software.

Baixe o Guia definitivo de como montar um e-commerce!

6. Faça um planejamento financeiro

Calcule o investimento inicial para começar o seu empreendimento do zero, levando em conta todos os custos para colocar a operação em funcionamento e o capital de giro para manter o negócio até que ele comece a gerar lucro.

Um indicador muito importante é o break even point, ou ponto de equilíbrio, que indica o volume de vendas necessário para cobrir todos os custos da operação, em um certo período de tempo.

Também é fundamental definir como serão levantados os recursos para a criação da empresa. O capital inicial pode ser de investimento próprio, da participação de sócios ou de linhas de crédito, por exemplo.

7. Formalize a sua empresa

Ter um CNPJ permite emitir notas fiscais, fazer o recolhimento adequado de impostos e ter acesso a soluções diferenciadas, como linhas de crédito e financiamentos especiais. Dessa forma, não deixe de formalizar o seu empreendimento corretamente.

Uma opção para quem está começando é se formalizar como Microempreendedor Individual (MEI). Voltada para quem fatura até R$ 81.000,00 por ano, essa modalidade conta com uma guia única de pagamento de tributações.

Como tirar CNPJ? Passo a passo para formalizar sua empresa

8. Monte um plano de negócio

Agora é a hora de organizar todas as informações sobre o seu empreendimento em um plano de negócio.

Esse documento permite analisar a viabilidade da empresa e ter uma visão aprofundada do funcionamento, objetivos e cenário do negócio, funcionando como um guia para a tomada das decisões mais estratégicas.

Dentre os elementos que devem ser incluídos no plano de negócio, estão:

  • dados da empresa, como CNPJ, natureza jurídica e capital social;
  • descrição do negócio, produtos e serviços vendidos, público-alvo, setor de atuação e diferenciais competitivos;
  • análise SWOT, identificando as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do negócio;
  • análise do mercado e dos concorrentes;
  • plano de marketing, detalhando as estratégias de divulgação e promoção;
  • plano operacional, explicando como funcionará a operação;
  • plano financeiro, com cálculo do investimento necessário e previsões de faturamento e lucratividade.

Com esse documento em mãos, você poderá começar a tirar o seu empreendimento do papel, seguindo as estratégias definidas.

Dica extra: continue aprofundando seus conhecimentos!

Para quem está começando a empreender do zero, uma dica de ouro é nunca parar de aprofundar os seus conhecimentos! Invista em capacitação e mantenha-se atualizado sobre as principais tendências e novidades do mercado.

Há muito conteúdo gratuito na internet que pode te ajudar a começar o seu negócio com sucesso e alavancar cada vez mais as suas vendas.

Se você quer ficar em dia com as melhores estratégias de vendas online, nós enviamos uma newsletter semanal com conteúdos valiosos para o seu e-commerce. Inscreva-se já gratuitamente!


Inscreva-se na newsletter do Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

02, fevereiro, 2023

O que é review de produto e como incentivá-lo no seu e-commerce?

Quer aumentar a credibilidade da sua marca e alavancar suas vendas? Entenda o que é review de produto e como aplicar essa estratégia!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

01, fevereiro, 2023

Papelaria virtual: como montar uma papelaria online?

O setor de papelarias virtuais é uma das opções para quem quer começar a vender online. Confira o passo a passo para montar a sua!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

31, janeiro, 2023

Mercado de luxo: cenário e tendências do setor em 2023

O mercado de luxo é um dos setores que permanece em crescimento diante da crise macroeconômica. Conheça os seus dados e tendências!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo