Community commerce: o que é e como aproveitar o potencial dos creators?

E-commerce

23 de agosto de 2022

A popularização das redes sociais teve muita influência no universo do e-commerce. Do social commerce ao live commerce, foram várias as tendências que surgiram para alavancar as vendas online por meio dessas plataformas.

Esse é o caso do community commerce, que se originou principalmente no TikTok e tem evidenciado o poder dos criadores de conteúdo para impulsionar as vendas de uma marca ou produto.

Se interessou por essa estratégia? Neste artigo, vamos explicar o que é community commerce e como esse conceito tem revolucionado a jornada de compra do cliente!

O que é community commerce?

Community commerce, e-commerce comunitário, é um modelo de comércio online focado nos criadores de conteúdo (também chamados de creators) e no marketing boca-a-boca que acontece por meio das redes sociais.

O conceito foi desenvolvido pelo TikTok em um estudo feito em parceria com a WARC e a Publicis Groupe, a partir da constatação da capacidade das comunidades digitais em impulsionar marcas e produtos rapidamente.

Com isso, o community commerce baseia-se na produção de conteúdos divertidos e autênticos, que apresentam produtos e marcas a públicos que se reúnem nas redes sociais a partir de interesses em comum.

Os creators têm um papel fundamental nesse processo, atuando como os grandes protagonistas no engajamento das comunidades.

Ao criarem junto com as marcas, seja por meio do Marketing de Influência ou de conteúdos orgânicos, eles ajudam a gerar uma maior conexão e oferecer uma troca de valor para os consumidores.

Community commerce na prática

Para entender como o community commerce funciona na prática, imagine um creator ou uma marca que publica um vídeo no TikTok mostrando um determinado produto.

Outros usuários veem e interagem com o conteúdo em seus feeds, compartilhando-o com outras pessoas. O próprio TikTok disponibiliza ferramentas que incentivam e facilitam esse engajamento, como os recursos de Dueto e Costurar.

O Dueto permite reagir e interagir diretamente com o vídeo do creator ou da marca, criando um vídeo com duas telas paralelas, na qual uma é o vídeo original e a outra é a interação da comunidade. O Instagram também disponibiliza um recurso parecido, chamado “Remix”.

Já com a opção Costurar, os usuários podem cortar parte do vídeo e apresentar a sua própria continuação ou versão do conteúdo original.

Essas interações fazem o conteúdo viralizar na rede social, aumentando o interesse em torno do produto e disparando as suas vendas.

Ou seja, é uma excelente oportunidade para a marca engajar com a audiência, criando uma relação mais próxima com os consumidores e gerando novas oportunidades de negócios.

Social commerce vs Community commerce

Após conhecer a definição de community commerce, você pode estar se perguntando qual é a sua diferença para o social commerce.

O social commerce é um conceito mais amplo que abrange soluções e oportunidades de vendas nas redes sociais, como anúncios patrocinados e outras ativações unilaterais.

Já o community commerce é uma extensão do social commerce, focada nos criadores de conteúdo e em suas comunidades nas redes sociais.

Os usuários de redes sociais como o TikTok buscam sobretudo entretenimento. Logo, diferenciando-se de anúncios que interrompem o usuário, o community commerce é focado em conteúdos que entretêm os consumidores, criando uma maior conexão com eles.

Digitalização dos hábitos de consumo

O surgimento do community commerce se deu muito em função da transformação dos hábitos de consumo no período de pandemia. A consolidação das compras online tornou a presença nas redes sociais uma questão de sobrevivência para as marcas.

O estudo do TikTok revela que 78% dos consumidores já estão acostumados a interagir mais com pessoas e marcas por meio de canais virtuais. Além disso, uma média de 85% já compraram um produto ou serviço após vê-lo nas redes sociais.

Como resposta a esse comportamento dos consumidores, as empresas começaram a acelerar as suas estratégias de vendas no ambiente digital, investindo cada vez mais em social commerce.

Nesse cenário, destacaram-se principalmente as marcas que se dispuseram a experimentar, trabalhando diretamente com os criadores e ultrapassando as barreiras entre conteúdo e comércio.

Compressão da jornada de compra

Na era das redes sociais, a jornada de compra do cliente não é mais totalmente linear. Descoberta, consideração e conversão se misturam, podendo acontecer ao mesmo tempo.

Mais de 70% dos consumidores afirmam que as redes sociais já os levaram a fazer uma compra, mesmo que eles não estivessem planejando, segundo o TikTok.

Nesse contexto, o community commerce é marcado pela compressão da jornada de compra. No próprio momento da descoberta, o usuário pode ser influenciado a fazer uma compra, motivado pela prova social e pelo engajamento da comunidade.

Isso significa que, no community commerce, todo momento é uma oportunidade para conversão. Para aproveitar esse cenário, é essencial que as marcas facilitem a experiência de compra dos consumidores e foquem na autenticidade dos conteúdos.

Criatividade como pilar para o community commerce

Não existe uma única estratégia para investir no community commerce. É preciso se adaptar às particularidades de cada rede social, assim como aos objetivos e ao nicho de cada empresa.

O ponto mais importante do community commerce é a criatividade. Diante da infinidade de conteúdos sendo publicados diariamente nas redes sociais, é a autenticidade que faz uma marca ou produto se destacar.

Mais uma vez, os creators têm um importante papel nisso, sabendo melhor do que ninguém como se conectar com as suas comunidades.

Outra dica é ficar de olho nas tendências em cada rede social. Participar de uma trend do momento que faça sentido para o seu negócio pode ser essencial para engajar a audiência e gerar oportunidades de vendas.

Conclusão

Em resumo, o community commerce surge como uma expansão do social commerce, potencializando ainda mais a conexão entre marcas e consumidores nas redes sociais.

Na era das redes sociais, todo momento é uma oportunidade de venda. Mas, diferentemente dos anúncios que interrompem o usuário, o foco do community commerce é em conteúdos divertidos e autênticos, que entretêm e geram valor para o consumidor.

Agora que você conhece o que é community commerce, vai começar a investir nessa tendência?

Se quiser ficar por dentro de outras estratégias e conceitos do comércio eletrônico, inscreva-se na nossa newsletter para receber semanalmente os melhores conteúdos!


Inscreva-se na newsletter do Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

30, setembro, 2022

Como preparar sua loja virtual para a Black Friday? Checklist

Garantir o sucesso da sua loja virtual na Black Friday exige uma preparação de vários aspectos da operação. Veja nosso checklist para não deixar nada para trás!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

28, setembro, 2022

Sell in e sell out: o que são e quais as diferenças?

Sell in e sell out são importantes processos que compõem a cadeia de suprimentos. Entenda o conceito de cada um e como fazer a melhor gestão deles!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

27, setembro, 2022

Avaliação de produtos: por que e como incentivar no seu e-commerce?

A avaliação de produtos é um recurso que fornece uma prova social para os clientes, incentivando-o a fazer uma compra. Entenda como utilizá-la na sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

Community commerce: o que é e como aproveitar o potencial dos creators?

E-commerce

23 de agosto de 2022

A popularização das redes sociais teve muita influência no universo do e-commerce. Do social commerce ao live commerce, foram várias as tendências que surgiram para alavancar as vendas online por meio dessas plataformas.

Esse é o caso do community commerce, que se originou principalmente no TikTok e tem evidenciado o poder dos criadores de conteúdo para impulsionar as vendas de uma marca ou produto.

Se interessou por essa estratégia? Neste artigo, vamos explicar o que é community commerce e como esse conceito tem revolucionado a jornada de compra do cliente!

O que é community commerce?

Community commerce, e-commerce comunitário, é um modelo de comércio online focado nos criadores de conteúdo (também chamados de creators) e no marketing boca-a-boca que acontece por meio das redes sociais.

O conceito foi desenvolvido pelo TikTok em um estudo feito em parceria com a WARC e a Publicis Groupe, a partir da constatação da capacidade das comunidades digitais em impulsionar marcas e produtos rapidamente.

Com isso, o community commerce baseia-se na produção de conteúdos divertidos e autênticos, que apresentam produtos e marcas a públicos que se reúnem nas redes sociais a partir de interesses em comum.

Os creators têm um papel fundamental nesse processo, atuando como os grandes protagonistas no engajamento das comunidades.

Ao criarem junto com as marcas, seja por meio do Marketing de Influência ou de conteúdos orgânicos, eles ajudam a gerar uma maior conexão e oferecer uma troca de valor para os consumidores.

Community commerce na prática

Para entender como o community commerce funciona na prática, imagine um creator ou uma marca que publica um vídeo no TikTok mostrando um determinado produto.

Outros usuários veem e interagem com o conteúdo em seus feeds, compartilhando-o com outras pessoas. O próprio TikTok disponibiliza ferramentas que incentivam e facilitam esse engajamento, como os recursos de Dueto e Costurar.

O Dueto permite reagir e interagir diretamente com o vídeo do creator ou da marca, criando um vídeo com duas telas paralelas, na qual uma é o vídeo original e a outra é a interação da comunidade. O Instagram também disponibiliza um recurso parecido, chamado “Remix”.

Já com a opção Costurar, os usuários podem cortar parte do vídeo e apresentar a sua própria continuação ou versão do conteúdo original.

Essas interações fazem o conteúdo viralizar na rede social, aumentando o interesse em torno do produto e disparando as suas vendas.

Ou seja, é uma excelente oportunidade para a marca engajar com a audiência, criando uma relação mais próxima com os consumidores e gerando novas oportunidades de negócios.

Social commerce vs Community commerce

Após conhecer a definição de community commerce, você pode estar se perguntando qual é a sua diferença para o social commerce.

O social commerce é um conceito mais amplo que abrange soluções e oportunidades de vendas nas redes sociais, como anúncios patrocinados e outras ativações unilaterais.

Já o community commerce é uma extensão do social commerce, focada nos criadores de conteúdo e em suas comunidades nas redes sociais.

Os usuários de redes sociais como o TikTok buscam sobretudo entretenimento. Logo, diferenciando-se de anúncios que interrompem o usuário, o community commerce é focado em conteúdos que entretêm os consumidores, criando uma maior conexão com eles.

Digitalização dos hábitos de consumo

O surgimento do community commerce se deu muito em função da transformação dos hábitos de consumo no período de pandemia. A consolidação das compras online tornou a presença nas redes sociais uma questão de sobrevivência para as marcas.

O estudo do TikTok revela que 78% dos consumidores já estão acostumados a interagir mais com pessoas e marcas por meio de canais virtuais. Além disso, uma média de 85% já compraram um produto ou serviço após vê-lo nas redes sociais.

Como resposta a esse comportamento dos consumidores, as empresas começaram a acelerar as suas estratégias de vendas no ambiente digital, investindo cada vez mais em social commerce.

Nesse cenário, destacaram-se principalmente as marcas que se dispuseram a experimentar, trabalhando diretamente com os criadores e ultrapassando as barreiras entre conteúdo e comércio.

Compressão da jornada de compra

Na era das redes sociais, a jornada de compra do cliente não é mais totalmente linear. Descoberta, consideração e conversão se misturam, podendo acontecer ao mesmo tempo.

Mais de 70% dos consumidores afirmam que as redes sociais já os levaram a fazer uma compra, mesmo que eles não estivessem planejando, segundo o TikTok.

Nesse contexto, o community commerce é marcado pela compressão da jornada de compra. No próprio momento da descoberta, o usuário pode ser influenciado a fazer uma compra, motivado pela prova social e pelo engajamento da comunidade.

Isso significa que, no community commerce, todo momento é uma oportunidade para conversão. Para aproveitar esse cenário, é essencial que as marcas facilitem a experiência de compra dos consumidores e foquem na autenticidade dos conteúdos.

Criatividade como pilar para o community commerce

Não existe uma única estratégia para investir no community commerce. É preciso se adaptar às particularidades de cada rede social, assim como aos objetivos e ao nicho de cada empresa.

O ponto mais importante do community commerce é a criatividade. Diante da infinidade de conteúdos sendo publicados diariamente nas redes sociais, é a autenticidade que faz uma marca ou produto se destacar.

Mais uma vez, os creators têm um importante papel nisso, sabendo melhor do que ninguém como se conectar com as suas comunidades.

Outra dica é ficar de olho nas tendências em cada rede social. Participar de uma trend do momento que faça sentido para o seu negócio pode ser essencial para engajar a audiência e gerar oportunidades de vendas.

Conclusão

Em resumo, o community commerce surge como uma expansão do social commerce, potencializando ainda mais a conexão entre marcas e consumidores nas redes sociais.

Na era das redes sociais, todo momento é uma oportunidade de venda. Mas, diferentemente dos anúncios que interrompem o usuário, o foco do community commerce é em conteúdos divertidos e autênticos, que entretêm e geram valor para o consumidor.

Agora que você conhece o que é community commerce, vai começar a investir nessa tendência?

Se quiser ficar por dentro de outras estratégias e conceitos do comércio eletrônico, inscreva-se na nossa newsletter para receber semanalmente os melhores conteúdos!


Inscreva-se na newsletter do Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

30, setembro, 2022

Como preparar sua loja virtual para a Black Friday? Checklist

Garantir o sucesso da sua loja virtual na Black Friday exige uma preparação de vários aspectos da operação. Veja nosso checklist para não deixar nada para trás!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

28, setembro, 2022

Sell in e sell out: o que são e quais as diferenças?

Sell in e sell out são importantes processos que compõem a cadeia de suprimentos. Entenda o conceito de cada um e como fazer a melhor gestão deles!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

27, setembro, 2022

Avaliação de produtos: por que e como incentivar no seu e-commerce?

A avaliação de produtos é um recurso que fornece uma prova social para os clientes, incentivando-o a fazer uma compra. Entenda como utilizá-la na sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo