Escolher a plataforma de e-commerce adequada às necessidades da sua loja virtual é fundamental para garantir uma alta performance do seu negócio.

É a plataforma que oferece toda a infraestrutura necessária para a criação do e-commerce, ficando responsável pelo gerenciamento (back-end) e a forma como seus clientes irão visualizar seu site (front-end).

Ou seja, ela oferece, em um só lugar, ferramentas que vão desde o gerenciamento de preços e estoque, até integração com meios de pagamento e tabelas de frete das principais transportadoras do mercado. Coisas que o lojista teria que procurar, de forma avulsa, com diversas empresas e profissionais, o que implicaria em tempo e valores mais altos para colocar a loja virtual no ar.

Todas essas funcionalidades básicas oferecidas pela plataforma impactam em pontos essenciais de um e-commerce, como aumento de conversão.  Veja abaixo os principais tipos de plataforma para e-commerce disponíveis no mercado.

Tipos de plataforma de e-commerce 

Dependendo do momento no qual seu e-commerce se encontra e, depois de estudar suas necessidades, é possível escolher entre alguns tipos de plataforma disponíveis no mercado.  

Plataformas open source 

As plataformas open source são aquelas que possuem código aberto, disponibilizado por desenvolvedores para uso gratuito. Elas permitem uma maior personalização (no layout, por exemplo), e são atualizadas constantemente por empresas que possuem conhecimento técnico no assunto.  

Apesar do alto grau de customização e da facilidade com que se tem acesso ao código-fonte de uma plataforma open source, existem alguns pontos que precisam ser destacados. Em algumas delas, pode ser difícil a implementação de novas funcionalidades – além disso, o lojista deve ficar responsável por todo o processo de implementação e manutenção da plataforma. 

Outro fator que não deve ser esquecido é a segurança: a loja virtual precisa contratar serviços especializados para que fique protegida contra ataques.  

Plataformas proprietárias 

Nas plataformas proprietárias, o código-fonte pertence ao fornecedor, limitando a possibilidade de customizações que o lojista pode fazer. Como a empresa fornecedora é a única que tem conhecimento para fazer a manutenção da plataforma, o e-commerce fica dependente dela para fazer ajustes em toda a parte técnica (inclusive para ações como extrações de dados), o que acaba resultando em custos mais altos.  

Desenvolvimento próprio 

A plataforma de desenvolvimento próprio é feita dentro do próprio e-commerce, por uma equipe técnica especializada, sem ter como base códigos já disponibilizados no mercado. Apesar de permitir um alto grau de personalização, traz como desvantagem custos maiores atrelados a ela.  

Plataforma licenciada 

Nesse modelo, o lojista adquire licença da empresa fornecedora para implementar a plataforma. Porém, é necessário que a loja virtual tenha uma equipe de desenvolvedores para assumir o processo.  

Plataforma SaaS  

Mantém a estrutura da loja virtual em nuvem, sendo mais utilizada em casos onde o e-commerce trabalha com serviços, e não com produtos. Como o back-end das plataformas SaaS não fica no sistema do contratante e ele não tem acesso ao código-fonte, elas são consideradas “lojas virtuais alugadas”.  

Como escolher a melhor plataforma para e-commerce?  

A escolha da plataforma de e-commerce é o primeiro passo para quem deseja montar sua própria loja virtual. Mas, antes de procurar a melhor opção, o lojista precisa definir suas regras de negócio, estabelecendo todas as etapas e procedimentos online.

Existem empresas que trabalham com pequenos, médios e grandes lojistas – por isso, é necessária uma pesquisa de mercado e avaliação minuciosas para fazer a escolha mais adequada.

Por mais que o ímpeto seja o de aderir à uma plataforma que possibilite maior customização, é preciso estudar se essa é realmente a melhor opção para sua loja virtual, especialmente se levarmos em consideração os altos custos desse modelo.   

Geralmente, plataformas que oferecem todas as funcionalidades básicas para o lojista acabam saindo mais em conta, e cobram uma taxa mensal.  

É necessário checar se elas estão atualizadas em relação ao mercado, com lançamento de novidades e manutenção constantes. Veja se elas oferecem tutoriais, além de suporte via telefone e e-mail – são itens que auxiliam bastante o lojista que não tem muito conhecimento sobre e-commerce.  

Confira também 6 dicas que você pode considerar na hora de escolher a melhor plataforma para sua loja virtual:  

1) Cheque se ela possui integração com os principais canais de mídias sociais, e ferramentas de marketing que trabalhem o posicionamento orgânico da sua loja virtual nas ferramentas de busca online. Assim, seu e-commerce será encontrado com mais facilidade por potenciais clientes;  

2) Também é importante que a plataforma possua integração com os principais meios de pagamento do mercado. Você pode escolher a opção que ofereça um leque maior de formas de pagamento para seu cliente, possibilitando mais conversão para sua loja virtual;  

3) Ela está atualizada em processo constante de atualização e implementação de melhorias? Tem novas funcionalidades que permitem a expansão do seu negócio?;  

4) Veja se a plataforma também oferece integração com tabelas de frete de uma ampla variedade de transportadoras;  

5) A plataforma oferece ferramentas fundamentais para gerenciar seu e-commerce, como relatórios e variedade de informações sobre suas vendas?  

6) Em termos de usabilidade, seu cliente vai ter acesso a um layout limpo, que ofereça uma experiência de compra confortável em seu site?  

E agora, você já sabe como escolher a melhor plataforma de e-commerce para sua loja virtual? Divida suas dicas com a gente!

 

 

*Texto escrito em parceria com a Irroba

Receba dicas de especialistas para melhorar seu negócio online.

Confira dicas, reportagens e conteúdos especiais de especialistas em E-commerce e Marketing Digital. Digite seu email abaixo:


You have Successfully Subscribed!