Economia circular: o que é e qual a sua importância para o e-commerce?

E-commerce

22 de novembro de 2021

Cerca de 160 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos são gerados diariamente no Brasil, de acordo com o Ipea (2021). Além disso, desde 1970, a sociedade, a nível global, consome mais recursos naturais do que tem condições de repor. Ou seja, a produção e o consumo desenfreado já não são mais viáveis.

Por isso, a economia circular é um novo modelo econômico que propõe uma solução inteligente para esse problema e ganha, felizmente, cada vez mais espaço no mercado.

Você sabe o que é economia circular e como trazer isso para a realidade do seu e-commerce? É o que você vai aprender neste artigo! Vamos lá?

Você verá a seguir:

  • O que é economia circular?
  • Pauta importante para o consumidor
  • Modelos de negócio de economia circular
  • Como adotar práticas mais sustentáveis no seu negócio?

O que é a economia circular?

Assim como a natureza tem um ciclo de criação, uso e transformação, a economia circular visa colocar no mercado novamente aquilo que um dia foi descartado. Veja no esquema:


Esquema da economia linear atual e da economia circular

Dessa forma, a economia circular vai além dos 3Rs (reduzir, reutilizar e reciclar), propondo um modelo sustentável que atenda o ritmo tecnológico e comercial da atualidade. Para isso, propõe novos processos, produtos e modelos de negócio.

Pauta importante para o consumidor

O mercado precisa aderir a mudanças que façam sentido para manter o seu funcionamento e, além disso, que atendam o seu público consumidor.

Nesse sentido, o cliente está cada vez mais “verde”, pautando suas aquisições nas questões socioambientais. Conheça alguns dados que comprovam essa tendência:

  • 38% dos brasileiros sempre verificam se os produtos foram produzidos de forma ambientalmente correta. Fonte: CNI.
  • 79% dos consumidores compram com base na responsabilidade social ou impacto ambiental. Fonte: Capgemini.
  • Mais de 80% das pessoas esperam que as empresas cuidem do que está sob seu controle operacional, além de informar sobre os seus processos produtivos. Fonte: Akatu e Globescan.
  • Além disso, 60% esperam que as empresas priorizem condições de trabalho dos funcionários, qualidade e procedência dos produtos e questões ambientais, para tornar a economia mais sustentável. Fonte: Akatu e Globescan.

Ou seja, para as empresas continuarem competitivas e, mais do que isso, criando conexão com o público-consumidor, precisam estar cada vez mais atentas aos seus impactos socioambientais. Então, de que forma é possível dar início a isso e implementar uma economia circular?

Modelos de negócio de economia circular

Existem alguns modelos de negócio que viabilizam isso:

Produto como serviço

Esse modelo de negócio faz uso do produto como serviço, incentivando as pessoas a comprarem menos e contratarem mais. Um exemplo simples disso, e que já está consolidado na rotina das pessoas, é o Uber.

Com esse aplicativo, uma pessoa não precisa mais ter um carro para usufruir da sua comodidade, é possível contatar um serviço (de motorista por aplicativo) que já venha com ele junto. Diminuindo, assim, a necessidade de aquisição de um bem de consumo durável e economizando outros recursos com a manutenção do veículo.

Compartilhamento

Parecido com o modelo anterior, o seu objetivo é intensificar o uso do produto sem que haja necessidade de produzir e adquirir novos itens - isso é possível deixando-o à disposição de um grupo de pessoas.

Os negócios de aluguel de máquinas são um bom exemplo disso. Ao invés de um profissional adquirir uma máquina pesada que usa esporadicamente, pode optar por alugá-la quando for necessário.

Assim, uma mesma máquina tem uma grande rotatividade entre um grupo de profissionais e esses não precisam se preocupar com gastos de manutenção - que ficam por conta do negócio que o rentabiliza com o aluguel.

Vale lembrar ainda que esse é um empreendimento extremamente rentável, caracterizando, assim, uma oportunidade na qual todos ganham: empreendedor, clientes e meio ambiente.

Extensão da vida útil do produto

Já no caso da extensão de vida útil do produto, o objetivo é colocar em circulação itens seminovos, evitando o seu descarte prematuro ou gastos no seu reprocessamento.

Um case de sucesso desse modelo de negócio é o brechó Troc, adquirido pela Arezzo&Co, com o objetivo de fomentar a economia circular e democratizar o acesso à moda. Agora, os clientes podem vender suas peças de segunda mão na plataforma de marketplace que suporta as 30 empresas do grupo e usar o saldo como crédito no próprio site, doá-lo ou transferi-lo para a própria conta bancária.

Saiba mais sobre esse assunto no conteúdo: O que é recommerce e como investir nessa tendência do mercado?

Recuperação de recursos

Esse modelo de economia circular tem o objetivo de recuperar o valor de um recurso por meio de uso em cascata, no qual aumenta-se o ciclo de utilização do material com a mínima intervenção, seguindo esta ordem de prioridade: reutilizar, reparar, reciclar, recircular. Promovendo, assim, seu aproveitamento máximo e, no último estágio, colocando no mercado matérias-primas secundárias.

É totalmente aplicável para negócios que comercializam bens de consumo, por meio da logística reversa. Dessa forma, é feito o retorno do produto para seu fabricante, ou parceiro, para sua transformação e recolocação no comércio.

A Trocafone é um case de sucesso nesse assunto. A empresa é especializada na compra, recuperação e venda de celulares usados. Seu objetivo é comercializar aparelhos seminovos, em perfeitas condições de uso e com preço mais acessível.

Os aparelhos telefônicos que não têm condições de serem reparados e vendidos têm todos os componentes técnicos aproveitados, na medida do possível, e o que não pode ser usado é enviado para a reciclagem.

Insumos circulares

Esse tipo de empreendimento faz uso de matéria-prima reciclada ou de fontes renováveis, diminuindo a dependência de recursos naturais finitos para a produção. Além disso, viabiliza o reaproveitamento dos itens como matéria-prima secundária após o seu primeiro uso.

A Arezzo também é case de sucesso nesse modelo de negócio, com a produção de calçados feitos de matéria-prima biodegradável e com a gestão adequada de resíduos.

Virtualização

Nesse caso, os produtos a serem adquiridos deixam de existir fisicamente. Com isso, evita-se a utilização de materiais na produção, e o gasto energético na produção e distribuição passa a existir somente de maneira virtual.

A Netflix, já tão difundida no Brasil, é um exemplo disso: entrega um serviço de streaming que substitui as locadoras ou a compra de DVDs.

Outro case de sucesso são os e-books - que substituem a comercialização de livros físicos - com um preço mais acessível, disponibilização instantânea para o consumidor via computador, tablet ou leitor de livros virtual e, ainda, sem utilizar de espaço físico da casa do leitor para o seu posterior armazenamento.

Como adotar práticas mais sustentáveis no seu negócio?

Todos os modelos de negócios mencionados anteriormente vêm ganhando cada vez mais espaço no mercado. Mas, em termos práticos, pode ser dispendioso e demorado adaptar o seu modelo de operação para uma dessas iniciativas.

No entanto, ainda existem muitas formas de tornar a sua loja virtual amiga do meio ambiente! Confira a seguir algumas dicas de por onde começar.

Embalagens

Mais de 80% das embalagens de produtos são descartadas após o seu primeiro uso, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente. Ou seja, após sair do seu estoque com o objetivo de levar em segurança o produto até o consumidor final, a embalagem já vai para o lixo.

Pensando nisso, existem maneiras de você mitigar os impactos ambientais do seu empreendimento nesse aspecto. É possível utilizar matéria-prima reciclável, biodegradável e proveniente de fontes renováveis nas suas embalagens, bons exemplos disso são o papel e o papelão ondulado.

Além disso, aquela espuma ou flocos de proteção, utilizados em produtos frágeis, também já podem ser substituídos por versões eco-friendly, feitos em material biodegradável. Assim, caso o cliente faça o descarte das embalagens, as mesmas podem receber a destinação devida, sendo recicladas.

Outra atitude interessante, para evitar que o item vá para o lixo, é a utilização de embalagens que podem ser reaproveitadas pelo próprio consumidor em sua casa. Transformando-se, por exemplo, em um porta-lápis ou organizador de documentos. A Klabin For You é uma empresa especializada na produção desse tipo de embalagem.

Grande empresas, como a Samsung, já estão aderindo a iniciativas como essa. A coleção Lifestyle da empresa vem com caixas produzidas especialmente para esse reuso e, por meio de um QR code, o cliente encontra várias orientações sobre as possíveis dobraduras da embalagem que podem ser úteis no seu dia-a-dia.

Logística

Seu empreendimento também pode contribuir para a diminuição da pegada de carbono e outros impactos ambientais com processos logísticos otimizados.

A logística verde, por exemplo, tem o objetivo de causar o mínimo de impacto possível ao meio ambiente, considerando a poluição do ar, degradação do solo, poluição sonora, acidentes ambientais, aquecimento global e desperdício de materiais.

Então, busque empresas de logística que tenham essa preocupação para serem suas parceiras de negócio.

Você ainda pode informar ao seu cliente, no momento da finalização da compra, que a entrega do produto será feita com redução de impactos ambientais - gerando, assim, valor para a sua marca e promovendo também a conscientização do seu público.

Já a logística reversa, além de importante para trocas e devoluções dos produtos, também pode ser implementada com o objetivo de recolher os itens após o uso pelo cliente com o objetivo de reutilizá-lo ou reciclá-lo, como já falamos anteriormente.

Matéria-prima e fornecedores

Se você vende produtos adquiridos de terceiros, é importante verificar a origem da matéria-prima e as condições de trabalho de quem os produz.

Empreender é desafiador e os custos envolvidos nisso são enormes, mas é essencial ter responsabilidade quanto às condições trabalhistas e impactos ambientais do seu negócio.

Busque parceiros de negócio confiáveis nesse sentido. Vale lembrar também que esse é um ponto importante de destacar nas comunicações com o seu público-alvo, já que é uma preocupação cada vez maior dos clientes, sendo ainda uma oportunidade de diferenciar a sua marca e fidelizar clientes.

Já se a sua produção for própria, vale a pena estudar a origem da sua matéria-prima e, se for possível, trocá-la por outras de menor impacto ambiental. Mais uma vez, vale a comunicação com os clientes sobre as mudanças que vai fazer para contribuir com um ecossistema empreendedor mais ecológico.

Agora você já sabe o que é a economia circular e por onde pode começar para tornar o seu e-commerce amigo do meio ambiente! Se deseja aprofundar os seus estudos sobre o tema, confira o artigo E-commerce sustentável: 6 medidas para adotar na sua loja virtual!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

29, novembro, 2021

Multimeios de Pagamento: como esse recurso ajuda a aumentar as conversões?

Conheça o Multimeios de Pagamento, funcionalidade que permite o uso de mais de uma forma de pagamento em uma compra online.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

26, novembro, 2021

Como fazer a política de troca e devolução da sua loja?

A política de troca e devolução é um documento indispensável para qualquer loja. Veja como criar a do seu negócio, visando oferecer a melhor experiência ao cliente!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

25, novembro, 2021

Como aumentar o ticket médio? 8 técnicas para seu negócio

Descobrir como aumentar o ticket médio pode ser um grande desafio. Confira as estratégias que separamos para o seu negócio!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo