Sete erros para não cometer na Black Friday

E-commerce

23 de setembro de 2020

Todo ano, durante o mês de novembro, uma data já vem se tornando tradicional e contribui muito para aumentar o faturamento das lojas online: a Black Friday. Consumidores e lojistas já esperam ansiosamente pelo evento - por isso é importante saber driblar os erros em vendas na internet para se destacar e lucrar muito mais.

Em 2020, a sexta-feira de promoções será no dia 27 de novembro - e promete ser mais digital do que nunca.

Para se ter uma ideia, o varejo brasileiro online faturou R$ 3,2 bilhões na Black Friday de 2019, de acordo com um levantamento da Ebit Nielsen. O resultado representa alta de 23,6% em relação à edição de 2018, quando as vendas somaram R$ 2,6 bilhões.

Os números da Black Friday comprovam que o evento já faz parte do calendário de compras do brasileiro. O amplo crescimento no digital prova que, cada vez mais, os clientes estão conectados e atraídos pela praticidade das compras online.

Para 2020, há previsões de que o cenário do e-commerce na Black Friday seja ainda mais aquecido: segundo dados da Globo, 42% dos brasileiros vão comprar na Black Friday. Desses, 55% pretendem comprar por meio de canais físicos e digitais, 29% preferem comprar apenas pela internet e 16% somente em lojas físicas.

Portanto, é hora de preparar a sua loja para vender muito mais - e, para isso, é importante aprender com as próprias falhas do passado e também da concorrência. Confira os 7 principais erros em vendas na internet que podem comprometer seu desempenho na Black Friday e como evitá-los!

1. Não focar na experiência do usuário e responsividade

É claro que sua loja deve ter um design bonito e um layout agradável. Mas a permanência do usuário e a conversão em vendas vai muito além disso - depende é da experiência.

Isso quer dizer que, para que o processo de compra seja leve e descomplicado, os potenciais clientes devem estar em um ambiente que proporcione o menor esforço possível para obter informações.

Portanto, procure ajuda profissional para garantir a usabilidade da sua loja e/ou busque plataformas que já prezem por isso na sua estrutura.

Busque criar uma navegação intuitiva dentro do site. Para isso, é importante levar em conta algumas questões, como:

  • O cliente precisa clicar quantas vezes para chegar a um determinado produto/serviço?
  • Os botões são visíveis e com a chamada (CTA) certa?
  • O usuário demora muito para realizar uma tarefa simples na loja?
  • O processo para retornar à página anterior é simples?

Categorização

Outro ponto importante é criar uma padronização entre suas páginas e manter um design uniforme em todo o seu site.

Além disso, os produtos devem ser divididos em categorias para melhorar a hierarquia das informações, a velocidade do site deve ser rápida e o layout mais clean.

Responsividade

O conceito de mobile friendly deve ser levado a sério e já é indispensável para os lojistas que querem vender mais e melhor online.

Novamente de acordo com a Ebit Nielsen, o movimento na BF 2019 foi crescente e nas 48 horas entre a quinta e a sexta-feira de 2019, identificando que 55% dos pedidos foram feitos a partir de celulares. Na comparação com 2018, a alta foi de 103%.

O cenário de pandemia, mais uma vez, renovou as lógicas de consumo: 13% da população brasileira comprou pela internet pela primeira vez em 2020 (dados da Infobase Interativa).

Portanto, mais do que nunca, é necessário vender online usando plataformas responsivas - isso é, ter uma loja em que a plataforma se adapte ao formato dos smartphones, sem perder a qualidade de navegação e colocar em cheque a experiência do usuário.

Cuidar desses pontos é fundamental para melhorar a permanência das pessoas dentro de sua página e, consequentemente, a sua taxa de conversão.

2. Instabilidade e falhas tecnológicas

Você sabia que, durante a Black Friday, o tráfego nos sites pode ser até 6 vezes maior do que em dias comuns?

Portanto, a sua plataforma deve estar mais resistente do que nunca para suportar os acessos, sem deixar a experiência do usuário a desejar.

Portanto, não confie na média de acessos rotineira do seu site: esteja preparado para os pontos de máximo.

Os principais picos de acesso durante a Black Friday são observados:

  • à meia-noite;
  • na hora do almoço;
  • e no fim de tarde.

Pensando nisso, crie mecanismos para "blindar" tudo que é crítico para seu sistema.

Uma boa sugestão é contratar uma uma CDN (Content Delivery Network) para o período, que é uma rede que distribui geograficamente o conteúdo, melhorando o desempenho e a segurança do seu site.

Além disso, lembre-se de que a imagem da sua marca é muito importante e a segurança é vital para garantir a confiança dos consumidores. Por isso, não economize neste ponto.

Em geral, as fraudes contra lojas online acontecem a partir de compras aparentemente legítimas, mas feitas com cartões de crédito clonados.

Assim, você recebe o pedido, conclui a venda, envia seu produto e, quando o real portador do cartão identifica a compra desconhecida, ele abre o processo de chargeback. Dessa forma, há o risco de que você, lojista, fique sem o produto e sem o dinheiro.

Para evitar ou reduzir este problema, utilize um sistema de antifraude ou um sistema de pagamentos que tenha essa solução incorporada.

3. Preços pouco competitivos

Preço é um dos principais fatores de decisão quando se fala em compras, principalmente pela internet e ainda por cima na Black Friday.

Afinal, a possibilidade de comparação dos valores é muito rápida e dificilmente o lojista conseguirá um bom desempenho caso cobre muito acima da média de mercado e não invista em promoções relevantes para a data.

É claro que nem sempre é possível baixar tanto a margem de lucro de todos os produtos.

Portanto, o indicado é sempre acompanhar a concorrência e testar estratégias mais agressivas para itens com maior saída.

Portanto, prepare o estoque, negocie com fornecedores e faça uma projeção de vendas, com base nos anos anteriores, para entender a margem de desconto que você pode oferecer.

Jamais tente trapacear aumentando os preços antes de reduzi-los. Essa é uma prática que mais prejudica a imagem da empresa, além de contribuir para que muitos consumidores não acreditem nos descontos promovidos nessa data e até a chamem de “Black Fraude”.

4. Estoque e logística insatisfatórios

Um erro que compromete o desempenho de qualquer e-commerce durante a Black Friday é ter um estoque mal administrado. É necessário que você conheça e tenha registros de cada item do seu estoque e do valor que ele representa.

Por menor que seja seu estoque, não administrá-lo de maneira profissional e cuidadosa pode custar caro para o seu negócio e atrapalhar suas vendas.

Para garantir que nenhum produto falte durante a alta demanda, invista em uma projeção de vendas, reunindo as informações sobre quanto vendeu na data em anos anteriores e quais produtos foram mais demandados.

Além dos registros, o armazenamento adequado é outro fator que precisa ser considerado. Garanta que o espaço do estoque seja amplo, arejado e que proporcione a proteção que o seu produto precisa para permanecer em bom estado de uso e consumo.

Integre os estoques caso tenha operação física

Se você também mantém uma loja física, busque manter um estoque único - mas lembrando que tudo precisa ser sincronizado para evitar erros infelizmente comuns no e-commerce, como vender um produto que não consta no estoque. Verifique se a plataforma de e-commerce que você escolher possui integração com seu sistema de ERP.

Dessa forma, qualquer alteração em seus estoques será adicionada ao sistema instantaneamente, evitando qualquer mal-estar.

Logística e entrega de altíssima qualidade

Quando um consumidor opta por comprar online na Black Friday, ele deseja receber pelo produto em perfeitas condições e o quanto antes - sem atrasos demasiados.

Para que isso aconteça, muitos processos de logística estão envolvidos. A logística é responsável pelas etapas que vão desde o recebimento do pedido até a entrega para o cliente.

Qualquer problema neste fluxo pode resultar no atraso da entrega, responsável por grande parte das reclamações de quem compra online.

Lembrando que, na logística, produtos precisam de embalagens especiais e cuidado no manuseio para evitar quebras e avarias.

Dessa forma, sua empresa até pode internalizar parte do processo de logística, como separação, embalagem e expedição mas, mesmo assim, será necessário ter parceiros para entregas.

Frete reduzido e até mesmo grátis são grandes atrativos

De acordo com a pesquisa da Opinion Box, 65% dos consumidores apontam o frete grátis ou mais barato como os principais fatores que os fariam optar pelo online.

Por isso, procure negociar com transportadoras para oferecer melhores condições de frete na Black Friday. Em geral, quanto mais envios você tem, menos você paga.

Uma estratégia interessante para aumentar a conversão em vendas ao digitalizar um negócio é buscar implementar uma política de frete grátis.

O primeiro passo para isso é estabelecer um valor mínimo. Embora você esteja custeando parte do valor da entrega, a tendência é que o ticket médio de seus pedidos aumente, compensando a diferença no frete.

5. Atendimento demorado e ineficaz

Comentários não respondidos em redes sociais, política de trocas não clara e chamadas não atendidas podem frustrar os consumidores, tornando-os detratores da sua marca.

A Black Friday pode atrair muita gente que ainda não conhece bem sua loja, e várias dúvidas podem surgir.

É essencial ter uma boa equipe de suporte, na loja física, em chat, respondendo a e-mails e atendendo o telefone para que essas dúvidas não impeçam a compra de ser concluída.

Além disso, vale investir em uma página de perguntas frequentes e até mesmo em um chatbot, respondendo às principais dúvidas e possibilitando que o cliente faça uma espécie de autoatendimento.

6. Marketing e comunicação mal organizados

Você pode ter investido em condições excelentes para que o seu site aguente o pico de visitas na Black Friday, mas nada disso vai adiantar se não tiver clientes navegando no site e comprando.

As redes sociais - Facebook e Instagram - são ótimas para disseminar conteúdo, atrair tráfego para a sua loja e interagir com seu público, seja por meio de textos, fotos ou vídeos.

É nessas plataformas que você também tem a oportunidade de responder dúvidas, críticas e sugestões. Se suas postagens e promoções forem criativas e impressionantes, elas com certeza serão curtidas e compartilhadas.

Outro erro super comum em redes sociais empresariais é a repetição: você publica apenas fotos dos produtos que sua empresa oferece? O produto, nele mesmo, não é tão atrativo quanto o valor que ele gera.

Ao invés de usar suas redes sociais profissionais como um catálogo, apresente as experiências que seu produto proporciona e diferentes formas de usá-lo. Oferecer informações sobre o universo do seu produto também é uma ótima estratégia.

7. Deixar a desejar no meio de pagamentos

É decepcionante para um consumidor, em plena Black Friday, encontrar o produto desejado, por um bom preço, mas ter que abandonar a compra porque as formas de pagamento não o atendem.

Dessa forma, é indispensável ter integrado no seu site um meio de pagamento completo, seguro e que ofereça as melhores e mais populares soluções de pagamento.

Dessa forma, antes da Black Friday, garanta a disponibilidade das formas de pagamento mais utilizadas pelo seu público-alvo. Cartão de crédito - com diversidade de bandeiras - e boleto bancário são as opções preferidas pelo consumidor online no Brasil.

Oferecer possibilidade de parcelamento também é um diferencial. Novamente de acordo com os dados da Globo, 67% dos consumidores pretendem comprar no cartão de crédito durante a Black Friday 2020, principalmente por conta da opção de comprar à prazo.

Se você está procurando pelo melhor meio de pagamentos digitais para uma Black Friday mais segura e estável, experimente o Pagar.me.

O Pagar.me é uma empresa do grupo Stone Co. que oferece soluções de pagamento digital para transações financeiras (via cartão e boleto) entre consumidores plataformas digitais. Segurança, praticidade e um atendimento 100% humano e pessoal. Experimente!

E se você gostou dessas dicas, acesse o blog do Pagar.me, onde você encontra novos conteúdos sobre e-commerce, pagamentos e empreendedorismo toda semana.

Conhecer os principais erros em vendas na internet durante a Black Friday é indispensável para planejar essa data com eficiência e garantir bons resultados nesse período tão importante para o e-commerce. Coloque todas as ideias em prática o quanto antes e boas vendas!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

23, outubro, 2020

Previsões para a Black Friday 2020: dados e insights do Google

Recentemente, o Google Brasil promoveu um evento exclusivo para grandes varejistas do mundo digital onde apresentou dados, insights e previsões para a Black Friday 2020. Veja as informações e prepare seu negócio digital.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

16, outubro, 2020

O que é chargeback e como evitar este problema no seu e-commerce?

Ter uma transação contestada pode trazer uma série de prejuízos para a sua loja online, que corre o risco de ficar sem o produto e o valor da venda. Entenda o que é chargeback e como evitar este problema no e-commerce.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

15, outubro, 2020

O Dicionário Financeiro do E-commerce: 17 termos que todo empreendedor digital precisa conhecer

Capital de giro, Lucro, Chargeback, Fluxo de Caixa, Gateway e tantos outros termos do mundo financeiro que você precisa conhecer.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo