Geração Alfa: conheça as características e comportamentos de consumo das crianças atuais

E-commerce

7 de fevereiro de 2024

Marcada pela hiperconectividade e por uma visão única de mundo, a geração Alfa é a primeira que nasceu totalmente no século XXI. Assim, é composta por crianças e pré-adolescentes de até 14 anos atualmente.

De acordo com estimativas do IBGE, é esperado que, até 2025, existam cerca de 2,5 bilhões de Alfas no mundo.

Esse número fará deles a geração mais populosa na história da humanidade, apresentando grande influência na economia e na convivência entre gerações.

Nesse contexto, é fundamental começar a entender os comportamentos e características da geração Alfa para preparar o seu negócio para esse novo tipo de consumidor. Vamos nos aprofundar nesse assunto?

Quem é a geração Alfa?

A geração Alfa, ou geração Alpha, é composta pelos nascidos entre 2010 e 2025. Eles são, em sua grande maioria, filhos da geração Millennial (nascidos entre 1981 e 1994) e sucedem a geração Z (nascidos entre 1995 e 2009), sendo a geração mais atual no mundo.

Os Alfas nasceram e estão crescendo em um mundo altamente tecnológico e conectado. Dessa forma, caracterizam-se como nativos digitais, não vendo separação entre os universos on e offline.

Essa forte presença da tecnologia no cotidiano, somada à experiência do período pandêmico no início de suas vidas, faz com que eles tenham perspectivas, comportamentos e visões bastante particulares.

A nomenclatura foi cunhada por Mark McCrindle, fundador da consultoria australiana McCrindle Research, fazendo referência à primeira letra do alfabeto grego para marcar a primeira geração que nasceu totalmente no século atual.

Qual é a importância da geração Alfa para o mercado?

Em um contexto marcado pelo aumento da expectativa de vida e pela inversão da pirâmide etária, os Alfas devem se tornar os principais tomadores de decisão, com o maior poder de compra da história, ao chegarem à fase adulta em 2030 — é o que aponta um estudo da WGSN.

No entanto, já é essencial que as empresas comecem a adaptar as suas estratégias para essa geração. Afinal, com uma ampla exposição ao mundo virtual desde cedo, eles já são capazes de criarem associações a marcas e exercem grande influência na decisão de compra dos seus pais.

Para se ter uma ideia, um relatório da Kids Corp na América Latina revela que o índice de persuasão das crianças e adolescentes sobre os pais é de mais de 70% em categorias de brinquedos, entretenimento, moda e fast food.

Por outro lado, 58% dos líderes de marketing ainda não consideram a geração Alfa em suas estratégias, segundo uma pesquisa do Meio e Mensagem em parceria com a WGSN.

Nesse sentido, é importante, desde já, entender os comportamentos e interesses dos Alfas para começar a implementar uma estratégia a longo prazo de adaptação dos produtos e serviços para essa geração.

Quais são as características da geração Alfa?

Agora que você sabe quem é a geração Alfa, conheça as principais características que estão moldando essas crianças e pré-adolescentes e que podem afetar os seus comportamentos e interesses de consumo.

Hiperconectividade

Se a conectividade já era uma característica da geração Z, ela se intensifica ainda mais no caso dos Alfas. Afinal, eles já nasceram tendo a tecnologia e os dispositivos eletrônicos como parte indissociável de suas rotinas.

Smartphones, tablets, assistentes virtuais, redes sociais… A geração Alfa tem contato com essas tecnologias e aprende a utilizá-las desde cedo.

Como resultado, o ambiente digital faz parte das suas interações e aprendizados, não existindo, de fato, uma separação do mundo físico — é o chamado phygital-first.

Novas configurações familiares

Grande parte da geração Alfa tem pais Millennials, que buscam ter filhos mais tarde e, muitas vezes, desejam somente um filho.

Nesse contexto, os Alfas são marcados por filhos únicos, unidades familiares menores, pais mais velhos e também uma maior atenção de avós e mães, que têm assumido cada vez mais o papel de liderança nas famílias.

As estruturas familiares também são mais diversificadas, com pais e mães solos, rearranjos familiares, famílias homoafetivas e inter-raciais, e uma divisão mais equilibrada de papéis e responsabilidades entre gêneros dentro de casa.

Independência e autonomia

Desde pequenos, os Alfas aprendem a utilizar dispositivos eletrônicos para realizar ações e buscar informações por conta própria. As amplas possibilidades oferecidas por esse mundo digital tornam essa geração mais independente.

Somado a isso, dentro das novas configurações familiares, as crianças e adolescentes também têm ganhado mais autonomia para opinar, compartilhar aprendizados e tomar suas próprias decisões.

Estímulos constantes

A hiperconectividade também traz um grande desafio para a geração Alfa: ela é constantemente bombardeada por diferentes estímulos visuais, sonoros e interativos.

Ao mesmo tempo que pode contribuir para o aprendizado de novas habilidades, esse hiperestímulo também pode prejudicar o desenvolvimento de certas capacidades, especialmente no que diz respeito à concentração, atenção e paciência.

Consciência socioambiental e diversidade

Os Alfas nasceram em um mundo de permacrise. Escolhida como a palavra do ano de 2022 pelo Dicionário Collins, o termo descreve um estado de constante instabilidade, marcado por crises econômicas e socioambientais, guerras e acidentes catastróficos, por exemplo.

Nesse contexto, a geração Alfa apresenta uma forte consciência socioambiental, assim como mais empatia para entender as dores dos outros e uma maior valorização da diversidade, seja ela de gênero, racial ou cultural.

Preocupação com a saúde mental

Ao contrário de gerações anteriores, como os Baby Boomers (nascidos entre 1946 e 1964) e os Millennials, os Alfas demonstram uma maior preocupação com a saúde mental, ajudando a desestigmatizar e naturalizar o tema.

De acordo com o estudo da WGSN, essa relação se dará principalmente por meio da busca de soluções coletivas para a saúde mental, aproveitando-se da hiperconectividade para criar ambientes digitais mais acolhedores.

Valorização das experiências

De acordo com um artigo do próprio Mark McCrindle, a geração Alfa será a mais dotada de recursos materiais e conhecimentos tecnológicos de todos os tempos. Nesse cenário, a tendência é que ela valorize mais experiências do que objetos.

Pensando no contexto das marcas, elas precisarão oferecer experiências altamente personalizadas e alinhadas com os valores e propósitos dos Alfas para se destacarem dentre essa geração.

O que você achou das características da geração Alfa? Como a geração mais nova da atualidade, essas crianças e pré-adolescentes ainda estão se desenvolvendo.

Por isso, é fundamental acompanhar os seus comportamentos e tendências para preparar a sua marca, por meio de uma estratégia de longo prazo, para as suas influências atuais e futuras.

Se você quer se aprofundar na última característica da geração Alfa que abordamos no conteúdo, leia agora mesmo sobre a estratégia de hiperpersonalização!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

22, fevereiro, 2024

Como fazer live no Instagram? Passo a passo + 5 dicas

Aprenda o passo a passo de como fazer live no Instagram e confira dicas para fazer uma transmissão que gere vendas para a sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

20, fevereiro, 2024

Estoque máximo: o que é e como calcular o indicador?

Este conteúdo vai te ensinar como calcular o estoque máximo para mensurar o volume total de produtos que podem ser armazenados no seu negócio. Confira!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

19, fevereiro, 2024

Pagamento recusado: motivos para acontecer e como resolver

Ter um pagamento recusado pode ser um grande problema para a conversão de vendas online. Entenda os motivos para essa situação e como lidar com ela!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo