Formas de pagamento via Pix: como funcionam as principais modalidades?

E-commerce

13 de outubro de 2022

Qual brasileiro ainda não aderiu às vantagens do Pix? A instantaneidade e a alta disponibilidade dessa modalidade de pagamento têm facilitado a vida de muitos consumidores e empreendimentos desde a sua criação em 2020.

Segundo estatísticas do próprio Banco Central do Brasil, já existem mais de 500 milhões de Chaves Pix cadastradas, tanto de pessoas físicas quanto jurídicas.

Mas você sabe quais são as diferentes formas de pagamento via Pix e quais são as diferenças entre elas? É nesse tema que vamos nos aprofundar neste conteúdo. Acompanhe!

Quais são as formas de pagamento via Pix?

De forma geral, há quatro formas de pagamento pelo Pix que podem ser utilizadas por pessoas físicas e jurídicas. Entenda como elas funcionam e para quais casos cada uma é mais indicada!

1. Chave Pix

A Chave Pix funciona como um método de identificação de uma conta, ajudando a agilizar as transações. Ela pode consistir em:

  • CPF ou CNPJ;
  • número de telefone;
  • e-mail;
  • sequência de letras e números gerada aleatoriamente.

Essa é a modalidade de pagamento mais utilizada para transferências via Pix, principalmente entre pessoas físicas. Basta o recebedor informar sua chave para o pagador realizar a transação, sem precisar digitar todas as informações da conta de destino.

O cadastro das Chaves Pix pode ser realizado por aplicativo, Internet Banking ou agência da instituição financeira.

Pessoas físicas podem registrar até cinco chaves por conta, enquanto pessoas jurídicas podem ter até 20. Vale destacar que não é possível cadastrar uma mesma chave em contas diferentes.

2. Informações do recebedor

Também é possível fazer pagamentos via Pix inserindo manualmente os dados pessoais e bancários do recebedor (CPF, instituição financeira, agência e conta, por exemplo). O processo funciona do mesmo modo que em transferências via TED ou DOC.

Essa modalidade é menos prática que as demais, não sendo muito utilizada no dia a dia. No entanto, ela pode funcionar como uma alternativa para situações em que o recebedor ainda não tem uma Chave Pix cadastrada, por exemplo.

3. QR Code

O QR Code do Pix codifica todas as informações da chave Pix e da transação, permitindo realizar pagamentos instantâneos rapidamente pelo celular.

Essa é a modalidade mais utilizada para o recebimento de Pix em estabelecimentos comerciais. O pagador só precisa abrir o aplicativo da instituição financeira, selecionar a opção de pagamento com QR Code e fazer a leitura do código com a câmera do aparelho.

Um ponto importante é que existem dois tipos de QR Code do Pix: o estático e o dinâmico. Entenda as suas particularidades a seguir!

QR Code estático

O QR Code estático exige somente a informação da Chave Pix do recebedor para a realização do pagamento — o valor da transação pode ser pré-configurado ou preenchido manualmente pelo pagador.

Dessa forma, o código pode ser utilizado para múltiplas cobranças, sendo recomendado para pessoas físicas, prestadores de serviços e pequenos comércios físicos. É muito comum que os lojistas colem uma imagem do código no balcão, por exemplo.

Esse tipo de QR Code estático pode ser gerado diretamente no aplicativo ou Internet Banking da instituição financeira do recebedor.

QR Code dinâmico

O QR Code dinâmico, por sua vez, demanda a definição do valor da transação, além de possibilitar a configuração de outras informações, como dados do recebedor e do pagador, data de vencimento do pagamento e produtos ou serviços sendo comercializados.

Com isso, o QR Code dinâmico pode ser utilizado somente uma única vez, sendo necessário gerar um código diferente para realizar outra cobrança.

Essa modalidade é ideal para e-commerces e grandes empresas prestadoras de serviços, sendo necessário contar com uma solução de pagamentos online para a geração automática do QR Code dinâmico.

4. Copia e Cola

A funcionalidade de Copia e Cola transforma todos os dados do QR Code do Pix em um link ou código em números.

Assim, o pagador tem a possibilidade de fazer a transação sem precisar escanear a imagem com a câmera do celular — é só colar o código gerado no campo de pagamento do seu aplicativo ou Internet Banking.

Esse recurso é útil principalmente para compras feitas pelo smartphone, quando a pessoa fica impedida de apontar a câmera para fazer a leitura do código.

Quando é cobrada a tarifa para o pagamento via Pix?

Todas as pessoas físicas são isentas de tarifa para receber e fazer transferências, além de realizar compras com o Pix.

Por outro lado, elas podem ser taxadas em situações que configurem atividade comercial para o Banco Central, como o recebimento de mais de 30 transações por mês e o recebimento de Pix por QR Code dinâmico.

Também há cobrança por transferências utilizando um canal de atendimento presencial da instituição, estando disponíveis canais digitais para isso.

Já as pessoas jurídicas podem ser cobradas pelo envio e recebimento de valores por Pix, tanto com a finalidade de transferência quanto com a de compra. Nesse caso, a definição das tarifas fica a cargo de cada instituição financeira.

Um ponto importante é que as normas para pessoas físicas valem também para Microempreendedores Individuais (MEI) e Empresários Individuais.

Entenda os casos em que a tarifa do Pix pode ser cobrada

Como receber pagamentos com Pix no e-commerce?

Tem um empreendimento digital e quer aceitar pagamentos pelo Pix? Com o Pagar.me, você vende nessa modalidade, com total segurança e praticidade!

Nossa tecnologia cria uma Chave Pix aleatória que identifica a conta de cada empresa dentro do Pagar.me, permitindo que o consumidor final confirme a identidade do seu negócio e tenha uma experiência mais confiável na hora de fazer a compra.

Para a realização de todas as transações com Pix, nosso sistema gera automaticamente QR Codes dinâmicos, que podem ser utilizados para um único pagamento, facilitando o processo de conciliação.

Para completar, nossa tecnologia também possibilita que você venda online por cartão de crédito e boleto bancário, além de oferecer ferramentas voltadas para aumentar a sua conversão em vendas, como checkout transparente e link de pagamento.

Agora que você entendeu como funcionam as formas de pagamento via Pix, cadastre-se no Pagar.me e comece a vender nessa modalidade!


Cadastre-se no Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

05, dezembro, 2022

8 estratégias para disparar suas vendas de Natal (2022)

Quer potencializar as vendas de Natal da sua loja? Confira as principais tendências de consumo e estratégias para lucrar na data este ano.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

01, dezembro, 2022

Venda casada: o que é e o que diz a lei sobre essa prática?

Confira o que é venda casada, por que essa prática é considerada um crime pela legislação e como evitá-la no seu negócio.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

30, novembro, 2022

Unboxing: o que é e como investir nessa estratégia?

Você sabe o que é unboxing? Saiba mais sobre esse processo de desempacotar uma compra e como aproveitar essa tendência na sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

Formas de pagamento via Pix: como funcionam as principais modalidades?

E-commerce

13 de outubro de 2022

Qual brasileiro ainda não aderiu às vantagens do Pix? A instantaneidade e a alta disponibilidade dessa modalidade de pagamento têm facilitado a vida de muitos consumidores e empreendimentos desde a sua criação em 2020.

Segundo estatísticas do próprio Banco Central do Brasil, já existem mais de 500 milhões de Chaves Pix cadastradas, tanto de pessoas físicas quanto jurídicas.

Mas você sabe quais são as diferentes formas de pagamento via Pix e quais são as diferenças entre elas? É nesse tema que vamos nos aprofundar neste conteúdo. Acompanhe!

Quais são as formas de pagamento via Pix?

De forma geral, há quatro formas de pagamento pelo Pix que podem ser utilizadas por pessoas físicas e jurídicas. Entenda como elas funcionam e para quais casos cada uma é mais indicada!

1. Chave Pix

A Chave Pix funciona como um método de identificação de uma conta, ajudando a agilizar as transações. Ela pode consistir em:

  • CPF ou CNPJ;
  • número de telefone;
  • e-mail;
  • sequência de letras e números gerada aleatoriamente.

Essa é a modalidade de pagamento mais utilizada para transferências via Pix, principalmente entre pessoas físicas. Basta o recebedor informar sua chave para o pagador realizar a transação, sem precisar digitar todas as informações da conta de destino.

O cadastro das Chaves Pix pode ser realizado por aplicativo, Internet Banking ou agência da instituição financeira.

Pessoas físicas podem registrar até cinco chaves por conta, enquanto pessoas jurídicas podem ter até 20. Vale destacar que não é possível cadastrar uma mesma chave em contas diferentes.

2. Informações do recebedor

Também é possível fazer pagamentos via Pix inserindo manualmente os dados pessoais e bancários do recebedor (CPF, instituição financeira, agência e conta, por exemplo). O processo funciona do mesmo modo que em transferências via TED ou DOC.

Essa modalidade é menos prática que as demais, não sendo muito utilizada no dia a dia. No entanto, ela pode funcionar como uma alternativa para situações em que o recebedor ainda não tem uma Chave Pix cadastrada, por exemplo.

3. QR Code

O QR Code do Pix codifica todas as informações da chave Pix e da transação, permitindo realizar pagamentos instantâneos rapidamente pelo celular.

Essa é a modalidade mais utilizada para o recebimento de Pix em estabelecimentos comerciais. O pagador só precisa abrir o aplicativo da instituição financeira, selecionar a opção de pagamento com QR Code e fazer a leitura do código com a câmera do aparelho.

Um ponto importante é que existem dois tipos de QR Code do Pix: o estático e o dinâmico. Entenda as suas particularidades a seguir!

QR Code estático

O QR Code estático exige somente a informação da Chave Pix do recebedor para a realização do pagamento — o valor da transação pode ser pré-configurado ou preenchido manualmente pelo pagador.

Dessa forma, o código pode ser utilizado para múltiplas cobranças, sendo recomendado para pessoas físicas, prestadores de serviços e pequenos comércios físicos. É muito comum que os lojistas colem uma imagem do código no balcão, por exemplo.

Esse tipo de QR Code estático pode ser gerado diretamente no aplicativo ou Internet Banking da instituição financeira do recebedor.

QR Code dinâmico

O QR Code dinâmico, por sua vez, demanda a definição do valor da transação, além de possibilitar a configuração de outras informações, como dados do recebedor e do pagador, data de vencimento do pagamento e produtos ou serviços sendo comercializados.

Com isso, o QR Code dinâmico pode ser utilizado somente uma única vez, sendo necessário gerar um código diferente para realizar outra cobrança.

Essa modalidade é ideal para e-commerces e grandes empresas prestadoras de serviços, sendo necessário contar com uma solução de pagamentos online para a geração automática do QR Code dinâmico.

4. Copia e Cola

A funcionalidade de Copia e Cola transforma todos os dados do QR Code do Pix em um link ou código em números.

Assim, o pagador tem a possibilidade de fazer a transação sem precisar escanear a imagem com a câmera do celular — é só colar o código gerado no campo de pagamento do seu aplicativo ou Internet Banking.

Esse recurso é útil principalmente para compras feitas pelo smartphone, quando a pessoa fica impedida de apontar a câmera para fazer a leitura do código.

Quando é cobrada a tarifa para o pagamento via Pix?

Todas as pessoas físicas são isentas de tarifa para receber e fazer transferências, além de realizar compras com o Pix.

Por outro lado, elas podem ser taxadas em situações que configurem atividade comercial para o Banco Central, como o recebimento de mais de 30 transações por mês e o recebimento de Pix por QR Code dinâmico.

Também há cobrança por transferências utilizando um canal de atendimento presencial da instituição, estando disponíveis canais digitais para isso.

Já as pessoas jurídicas podem ser cobradas pelo envio e recebimento de valores por Pix, tanto com a finalidade de transferência quanto com a de compra. Nesse caso, a definição das tarifas fica a cargo de cada instituição financeira.

Um ponto importante é que as normas para pessoas físicas valem também para Microempreendedores Individuais (MEI) e Empresários Individuais.

Entenda os casos em que a tarifa do Pix pode ser cobrada

Como receber pagamentos com Pix no e-commerce?

Tem um empreendimento digital e quer aceitar pagamentos pelo Pix? Com o Pagar.me, você vende nessa modalidade, com total segurança e praticidade!

Nossa tecnologia cria uma Chave Pix aleatória que identifica a conta de cada empresa dentro do Pagar.me, permitindo que o consumidor final confirme a identidade do seu negócio e tenha uma experiência mais confiável na hora de fazer a compra.

Para a realização de todas as transações com Pix, nosso sistema gera automaticamente QR Codes dinâmicos, que podem ser utilizados para um único pagamento, facilitando o processo de conciliação.

Para completar, nossa tecnologia também possibilita que você venda online por cartão de crédito e boleto bancário, além de oferecer ferramentas voltadas para aumentar a sua conversão em vendas, como checkout transparente e link de pagamento.

Agora que você entendeu como funcionam as formas de pagamento via Pix, cadastre-se no Pagar.me e comece a vender nessa modalidade!


Cadastre-se no Pagar.me!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

05, dezembro, 2022

8 estratégias para disparar suas vendas de Natal (2022)

Quer potencializar as vendas de Natal da sua loja? Confira as principais tendências de consumo e estratégias para lucrar na data este ano.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

01, dezembro, 2022

Venda casada: o que é e o que diz a lei sobre essa prática?

Confira o que é venda casada, por que essa prática é considerada um crime pela legislação e como evitá-la no seu negócio.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

30, novembro, 2022

Unboxing: o que é e como investir nessa estratégia?

Você sabe o que é unboxing? Saiba mais sobre esse processo de desempacotar uma compra e como aproveitar essa tendência na sua loja!

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo