7 lições da Black Friday 2019 para vender mais em 2020

E-commerce

3 de setembro de 2020

Há alguns anos, a Black Friday, evento promocional que já era sucesso nos Estados Unidos, chegou com tudo para aquecer as compras no Brasil. Nas últimas edições, o potencial de vendas dos e-commerces só aumentou.

Para se ter uma ideia, o varejo online brasileiro faturou R$ 3,2 bilhões na Black Friday 2019 (quinta e sexta-feira), segundo dados da Ebit Nielsen. O número é 23,6% maior ao registrado no mesmo período do evento em 2018, quando as vendas totalizaram R$ 2,6 bilhões.

Os números da Black Friday, ano após ano, comprovam que o evento já faz parte do calendário de compras do brasileiro, com crescimento exponencial.

Seja nos grandes players ou nas PMEs, fato é que hoje as empresas estão investindo cada vez mais em diferenciais competitivos para superar a concorrência.

O comércio já notou que o consumidor moderno pesquisa e não cai mais em “promoções de metade do dobro” - logo, preparar suas ofertas e estratégias é fundamental para fisgar o cliente bombardeado por promoções tentadoras.

É inegável que a Black Friday já é a segunda data mais importante no varejo brasileiro, atrás apenas do Natal. Por esse motivo, lojistas de todo o país começam a preparar suas lojas com meses de antecedência.

E a nossa missão é te ajudar! Confira o legado da BF 2019 e as perspectivas para faturar ainda mais em 2020.

1. 2019 já foi digital - 2020 será mais que nunca

A Black Friday 2020 ocorrerá na quarta sexta-feira de novembro (dia 27/11), com uma grande expectativa de participação dos consumidores - sobretudo no ambiente de compra digital.

Em 2019, durante todo o mês de novembro, quando a prática do Black November já vinha se consolidando, o faturamento do varejo virtual chegou aos R$11,95 bilhões, tendo um crescimento de 32,8% em relação ao mesmo período de 2018. Os dados são do

Relatório Black Friday 2019, da Social Miner. Em 2020, a participação do e-commerce na Black Friday será ainda mais expressiva. De acordo com o estudo feito pela área de Inteligência de Mercado da Globo, 42% dos brasileiros vão comprar na Black Friday em 2020.

Desses, 55% pretendem comprar por meio de canais físicos e digitais, 29% preferem comprar apenas pela internet e 16% somente em lojas físicas.

Tamanha representatividade em vendas online na Black Friday pode ter influência da pandemia causada pelo novo coronavírus e o consequente isolamento social.

Agora parece que o consumidor está mesmo com vontade de voltar às compras, depois de meses confinados e enfrentando diferentes protocolos da quarentena pelo país, quando 7 em cada 10 brasileiros deixaram de comprar algo.

Para quem já tinha intenção de gastar, o isolamento aumentou em 39% a pretensão e 65% dizem que comprar algo será uma forma de se presentear.

Além disso, 51% vão priorizar comprar de marcas que fizeram algo positivo durante a pandemia - ainda segundo o levantamento da Globo.

E aí, sua loja online já está se preparando para receber tantos consumidores ávidos por ofertas?

2. Vendas via mobile ganharam destaque já na Black Friday 2019

Se o e-commerce é o setor com a maior promessa de faturamento na Black Friday 2020, as lojas não podem deixar de pensar na experiência de compra por meio do dispositivo que não sai das nossas mãos: o smartphone.

As vendas durante a Black Friday 2019 confirmam a tendência do consumidor de adquirir a partir de dispositivos móveis.

Novamente de acordo com a Ebit Nielsen, o movimento na BF 2019 foi crescente e nas 48 horas entre a quinta e a sexta-feira de 2019, identificando que 55% dos pedidos foram feitos a partir de celulares. Na comparação com 2018, a alta foi de 103%.

Dessa forma, o faturamento via mobile neste ano chegou a R$ 1,7 bilhão, enquanto nos mesmos dias do ano passado foi de R$ 830 milhões, uma expansão de 95%.

O conceito de Mobile First (dispositivos móveis em primeiro lugar) já é indispensável para os lojistas que querem vender mais e melhor online e, de fato, essa Black Friday se consolidou como o evento onde mais compras foram feitas por este formato.

Ainda de acordo com o Estadão, 55% do total das vendas online da Black Friday 2019 foram realizadas por meio de celulares.

O cenário de pandemia, mais uma vez, renovou as lógicas de consumo: 13% da população brasileira comprou pela internet pela primeira vez em 2020 (dados da Infobase Interativa).

Portanto, mais do que nunca, é necessário vender online usando plataformas responsivas - isso é, ter uma loja em que a plataforma se adapte ao formato dos smartphones, sem perder a qualidade de navegação e colocar em cheque a experiência do usuário.

Preocupar-se em ter uma loja responsiva é indispensável em um cenário no qual a maioria das compras online já são feitas na palma da mão.

3. Estabilidade é essencial para vender online

Diante de uma das maiores oportunidades sazonais para faturar mais, a infraestrutura do seu site não pode ser um gargalo para o sucesso do seu negócio.

Se a Black Friday gera muita expectativa no consumidor que, por sua vez, gera muito tráfego nos sites, as marcas precisam ter infraestrutura de qualidade para suportar picos de acesso.

Quando o dia de ofertas começa, ou até mesmo horas antes, de acordo com o calendário de ofertas que você determinar, é normal ter o aumento significativo do número de acessos e requisições na sua loja.

Voltando ao relatório da Social Miner, em 2019 o maior pico de vendas da Black Friday aconteceu às 2h da madrugada de sexta-feira e manteve-se em alta até as 4h.

Cuidar da estabilidade do site e do meio de pagamentos online é indispensável, uma vez que más experiências podem gerar impactos negativos para a sua marca nos meses seguintes.

Por conta de instabilidade com o meio de pagamento, duas das maiores redes de fast-food do mundo lideraram o ranking de reclamações no Procon-SP em 2019, acumulando 1.079 contestações.

Se você não quer fazer feio e deseja oferecer a melhor experiência de compras para seus clientes, confira nossas 6 dicas de tecnologia para ter sucesso na Black Friday 2020.

4. O setor de Beleza e de Eletrônicos foi destaque

Na Black Friday há espaço para todo e qualquer setor faturar - mas há aqueles que lideram em vendas e conquistam a preferência do público.

A categoria que registrou o maior volume de pedidos durante o mês da Black Friday foi Beleza, com representatividade de 40,9%, novamente de acordo com a Social Miner.

Além disso, destacaram-se também os segmentos de Eletrônicos, concentrando 22,3% das vendas, Multicategoria, com 20,2%, e Moda e Acessórios, com 5,5%.

Essas categorias que foram sucesso na edição de 2020 também prometem conquistar a preferência dos consumidores em 2020.

O levantamento da Globo, a partir de uma amostra de 719 internautas brasileiros 18+ com intenção de compra, apontou que as categorias mais desejadas no contexto de pandemia são:

  • Roupas e Acessórios (31%);
  • Smartphones (30%);
  • Eletrônicos (30%);
  • Calçados (26%);
  • Eletrodomésticos (23%).

Em 2019, foi observado ainda que setores como Moda Infantil, Beleza e Moda e Acessórios contaram com mais consumidores do gênero feminino, enquanto Eletrônicos e Informática, Bebidas e Livraria foram mais populares entre o público masculino. Ótimo insight para você direcionar suas campanhas de marketing, não é mesmo?

5. Atendimento online é altamente requisitado

Atendimento online eficiente é indispensável para as lojas que querem se destacar e garantir a satisfação dos clientes na Black Friday.

Em novembro de 2018, 66,31% dos consumidores optaram por buscar atendimento junto às empresas através do telefone.

Já em 2019, esse número caiu para 43,33% enquanto outros canais como e-mail e chat ganharam representatividade, passando de 22,26% para 34,87% e de 11,41% para 21,79% de um ano para o outro, respectivamente.

Essa informação poderosa oferecida pelo relatório da Social Miner já demonstra que você deve voltar seus olhares para a sua operação de atendimento.

Sua equipe já está sendo treinada para atender com cordialidade e atenção os comentários e mensagens nas redes sociais? E quanto ao chat - já pensou em implementar este sistema no seu site? A hora é agora!

6. Black Friday prolongada e Cyber Monday

O varejo brasileiro não se dá por satisfeito em fazer um dia inteirinho de promoções. Já não é do último ano que as ofertas se estendem: Black November, Black Week, Cyber Monday e por aí vai.

Só de observar o faturamento do e-commerce de novembro a dezembro de 2019 - R$ 11,95 bilhões - é notável o quanto o período tem sido cada vez mais aquecido.

As promoções de Black Friday não se encerraram na sexta-feira e muitos varejistas continuam com as promoções ao longo do sábado e domingo.

O setor de Eletrônicos e Tecnologia também vem aderindo à Cyber Monday. A promoção ocorre na segunda-feira após a Black Friday (em 2020, será no dia 30 de novembro).

Porém, diferente da Black Friday onde você vai encontrar todo tipo de produto, na Cyber Monday, essas ofertas se concentram principalmente em produtos eletrônicos, como celulares, notebooks e games.

Visto que o setor de Eletrônicos é um dos mais cobiçados pelos consumidores em 2020, pense em investir em promoções especiais desses itens caso você atenda esta categoria.

7. Preferências específicas para pagamento

Na Black Friday 2019, o relatório mostrou que as transações efetuadas por cartão de crédito ao longo de novembro até 1° de dezembro de 2019, registraram um ticket médio de R$173,83, e foram pagas, em sua grande maioria (90,4%), à vista.

A Mastercard foi a favorita entre os consumidores nesta Black Friday, sendo que 58,9% das compras foram transacionadas por essa bandeira, seguida de Visa, com 35,3%.

Para 2020, crédito e dinheiro aparecerem como os principais ativos que os consumidores pretendem usar na Black Friday.

De acordo com o levantamento da Globo, 67% preferem o crédito, de olho nos benefícios de parcelamento, rapidez e segurança.

Já os 42% que pretendem comprar usando dinheiro, preferem a moeda pela possibilidade de obter ainda mais descontos. Com planejamento e antecedência, qualquer lojista pode alavancar as vendas na Black Friday 2020.

Os números da edição de 2019 deixam claro como esse evento é relevante e tem potencial para alavancar os resultados de qualquer loja virtual.

Quanto à estabilidade, segurança e variedade em alternativas de pagamento para a Black Friday do seu negócio, conte com o Pagar.me. Aceite cartão e boleto de um jeito simples e fácil e não deixe a experiência dos seus clientes a desejar!

Compartilhe esse conteúdo

  • Logo Facebook colorido
  • Logo Linkedin colorido
  • Logo Twitter colorido
  • Logo Whatsapp Colorido

Você também vai gostar..

23, outubro, 2020

Previsões para a Black Friday 2020: dados e insights do Google

Recentemente, o Google Brasil promoveu um evento exclusivo para grandes varejistas do mundo digital onde apresentou dados, insights e previsões para a Black Friday 2020. Veja as informações e prepare seu negócio digital.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

16, outubro, 2020

O que é chargeback e como evitar este problema no seu e-commerce?

Ter uma transação contestada pode trazer uma série de prejuízos para a sua loja online, que corre o risco de ficar sem o produto e o valor da venda. Entenda o que é chargeback e como evitar este problema no e-commerce.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo

15, outubro, 2020

O Dicionário Financeiro do E-commerce: 17 termos que todo empreendedor digital precisa conhecer

Capital de giro, Lucro, Chargeback, Fluxo de Caixa, Gateway e tantos outros termos do mundo financeiro que você precisa conhecer.

Compartilhe esse conteúdo

  • logo
  • logo
  • logo
  • logo